Campo Grande •19 de Agosto de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full banner SEGOV - Mesmo na crise Obras

Da redação | Quarta, 15 de Março de 2017 - 18h22Consumo de bens industriais cresce 2,6% em janeiro na comparação anualEste é o segundo resultado positivo seguido da indústria

O Indicador de Consumo Aparente de Bens Industriais, divulgado nesta quarta-feira (15/03) pelo Grupo de Conjuntura do Ipea, aponta um aumento de 2,6% em janeiro deste ano, na comparação com o mesmo mês de 2016. É o segundo resultado positivo seguido, após longo período de quedas, no comparativo interanual. Já em relação a dezembro passado, na série livre de efeitos sazonais, o indicador mostrou um recuo de 0,9%, depois de uma alta de 2,6% no mês anterior.

 O consumo aparente (CA) de bens industriais é definido como a produção industrial doméstica, acrescidas as importações e abatidas as exportações. Com o desempenho de janeiro, a queda do indicador acumulada em 12 meses desacelerou de 8,5% para 7%. Esse resultado, quando comparado à produção doméstica, cuja queda foi de 5,4% no mesmo mês, sugere um escoamento líquido da produção para o setor externo, segundo análise do Grupo de Conjuntura. Nessa mesma base de comparação, o volume importado de bens industriais caiu 8,7% e as exportações cresceram 5,4% nos 12 meses terminados em janeiro de 2017.

 As grandes categorias econômicas tiveram resultados heterogêneos. O destaque positivo, na comparação entre janeiro e dezembro, foi o avanço de 1,1% na margem do setor de bens intermediários – as matérias-primas processadas que são empregadas para a produção de outros bens ou produtos finais. “Já o setor de bens de capital apresentou contração de 6,6% em janeiro, reflexo do mau desempenho da produção doméstica e das importações”, destaca o técnico de planejamento e pesquisa Leonardo Mello de Carvalho.

 Nas classes de produção, enquanto a indústria de transformação registrou avanço de 0,3%, a extrativa mineral recuou expressivos 22,4%. Entre as atividades, apenas sete cresceram, de um total de 22. O destaque ficou por conta da fabricação de produtos derivados do petróleo e biocombustíveis, com alta de 6,9%, e a metalurgia, com expansão de 3,2%. Por sua vez, a fabricação de veículos recuou 12,1% ante o mês de dezembro. No acumulado em 12 meses, a fabricação de produtos químicos continuou sendo o único setor com variação positiva, de 0,7%.

Veja Também
Sábado, 19 de Agosto de 2017 - 16h38MEC prorroga prazo de inscrições Interessados têm até terça-feira para se inscreverem nos cursos técnicos
Sábado, 19 de Agosto de 2017 - 16h21Espanha mantém nível de alerta terrorista Com auxílio de outros países Espanha reforça segurança em zona turística
Fronteira prepara a Black Friday
Justiça Federal em MS passa a ter processo eletrônico
Justiça suspende novamente aumento de impostos sobre combustíveis
Mega-sena acumula e prêmio chega a R$ 26 milhões
CCZ abre as portas e foca em educar as crianças
Sanesul ampliará produção de água de poço em 100 mil litros por hora
TJ mantém suspenso decreto que regulamenta Uber na Capital
Lava Jato investiga empresas estrangeiras envolvidas em fraudes na Petrobras
Square banner notícias UCI
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothShop
DothNews
Rec banner - Patio central
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento