Menu
23 de junho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Comodidade

Confira cinco dicas para escolher o primeiro carro

Já pensou em que tipo de automóvel você precisa?

13 Out2017Da redação18h45

Comprar um carro é um dos maiores sonhos dos brasileiros, pois envolve liberdade e praticidade no dia a dia. Mas já pensou em que tipo de automóvel você precisa? Para quem ainda não passou por essa experiência e não sabe em quais detalhes prestar atenção, seguem algumas dicas: 

Tamanho - Se a família é pequena ou poucas pessoas andarão no carro frequentemente, um modelo compacto dará conta das necessidades. Porém, se quatro ou cinco pessoas forem transportadas frequentemente, vale a pena cogitar um hatch, uma minivan ou um SUV. Nesse quesito, também deve ser levado em consideração o tamanho da garagem. 

Frequência - Com que frequência você deseja utilizar o automóvel? Se for utilizá-lo no dia a dia para ir trabalhar, é fundamental considerar o consumo de combustível. Atualmente, há até mesmo carros maiores com motor econômico, como o Novo Aircross da montadora francesa Citroen. 

Viagens - Para o uso rodoviário, é importante observar o conforto, o nível de ruído e equipamentos específicos. As estradas de terra, por exemplo, exigem suspensão mais elevada, enquanto as trilhas de verdade precisam de um carro com tração 4x4.  

Segurança  - Vale a pena considerar ainda automóveis que já vem com itens de segurança, como freios ABS, airbags frontais e cintos pré-tensionadores. A direção hidráulica e a elétrica também ajudam na segurança, pois garantem uma resposta mais rápida, quando for necessário fazer manobras bruscamente. 

Manutenção - Além do valor da parcela, que deve cabe no orçamento, é importante colocar na ponta do lápis as despesas com a manutenção. Os automóveis fora de linha e com pouca cobertura nacional e podem gerar altos custos, se for necessário a troca de alguma peça.  Optar por um modelo sem itens básicos e que venham a ser necessários depois, como ar-condicionado, também poderá ser custoso, pois a instalação posterior é mais cara do que a de fábrica. 

Veja Também