Menu
17 de junho de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Meio Ambiente

Com ordem judicial, arara Jade volta para casa

Ave estava recolhida na Cras há cerca de nove meses e reencontro com a proprietária foi emocionante

11 Abr2019Valdelice Bonifácio16h31
(Foto: Marco Miatelo)
  • A funcionária pública Sandra Rocha e a arara Jade, reencontro marcado pela emoção
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)

A arara Canindé Jade vai voltar para a casa da família na cidade de Bataguassu. A ave estava no Centro de Reabilitação de Animais Silvestres, o Cras, em Campo Grande há nove meses, após ter sido recolhida pela Polícia Militar Ambiental (PMA). Na tarde desta quinta-feira, 11 de abril, a proprietária Sandra Rocha, munida de ordem judicial, retirou Jade do Crass. O reencontro das duas foi emocionante. “Ela é minha filha de penas”, disse a mulher.

A ordem judicial para a entrega do pássaro à proprietária é do juiz César Fidel Volpe, da 2ª Vara de Bataguassu. Ele, inclusive, estipulou multa de R$ 500 por dia em caso descumprimento da decisão. É o primeiro caso de determinação da Justiça para saída de animais do Cras que se tem notícias até o momento.

Jade foi entregue à dona por um cuidador do Crass por volta das 14h30. A ave gritou de alegria ao ver a mulher, demonstrando tê-la reconhecido imediatamente. Jade está bem disposta, porém, com cortes na asa direita. “Essa é uma situação que eu quero entender. Jamais fiz cortes nas penas delas”, assegura a mulher.

A história de Jade e Sandra começou há cerca de seis anos. A ave foi encontrada por um peão em uma fazenda no município de Santa Rita do Pardo, cidade próxima de Bataguassu. O trabalhador rural limpava uma área quando derrubou um toco e lá dentro encontrou dois filhotes de araras, um morto e Jade, com ferimentos.

O homem levou a ave para casa, tratou dos machucados e a alimentou com arroz cozido e leite. Dias depois, o peão ofereceu a pequena ave para a família de Sandra que aceitou na hora, pois sempre gostou de pássaros. Além de Jade, ela tem em casa outras 19 aves entre calopsitas e agapornis.

O nome Jade foi o próprio peão quem escolheu inspirado no filme Jade e Blue. A Canindé cresceu livre na casa de Sandra. “Às vezes eu ia para mata tentar ensinar ela a voar”, comenta. Porém, a convivência tranquila de Jade na casa de Sandra mudou em julho de 2018 quando policiais militares ambientais chegaram ao local para recolher a ave, após uma denúncia de maus tratos.

Sandra afirma que a denúncia é falsa. Porém, não conseguiu convencer a PMA, mesmo porque não tinha documento de compra e venda da ave e, além disso, Jade não usava a anilha. Por todas essas razões, ela foi trazida para o Cras da Capital, de onde só saiu nesta quinta-feira.

No Brasil, a lei proíbe a criação de animais silvestres em cativeiro sem a autorização. Dessa forma, mesmo que a pessoa seja um bom cuidador, ela precisa ter a documentação necessária, do contrário, o animal será recolhido e o criador autuado.

O Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul, Imasul, responsável pelo Cras não se manifestou oficialmente sobre o assunto.

Veja abaixo vídeo do reencontro entre Sandra e a arara Jade:

Veja Também

Ação gratuita para saúde da CCR MSVia será nesta terça-feira
MPF e indígenas cobram segurança pública
Balneário de Três Lagoas tem entrada gratuita durante o mês de junho
Brasil recebe primeiros turistas com isenção de visto
Justiça libera plano de saúde de arcar com fertilização in vitro
Três Lagoas confirma sexta morte por gripe
Morador do Tarumã ganha carro no sorteio do IPTU
Confira escala médica das UPAs e CRSs nesta segunda-feira
Caravana pode ampliar cirurgias
Corpus Christi movimenta mais de 23 mil passageiros no Aeroporto