Menu
21 de junho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Vacinação

Com novo calendário, Campanha de Multivacinação começa hoje em todo Brasil

Objetivo é iniciar cronograma vacinal e também completar doses que estiverem pendentes para público-alvo

19 Set2016Da redação08h08

Começa nesta segunda-feira (19) em todo país a Campanha Nacional de Multivacinação 2016. Entre os dias 19 e 30 de setembro todas as crianças menores de cinco anos e adolescentes de 10 a 15 anos incompletos deverão participar da Campanha. O objetivo é iniciar o cronograma vacinal e também completar as doses que estiverem pendentes para o público-alvo. Para Mato Grosso do Sul serão enviadas 593,4 mil doses que serão distribuídas para os municípios que iniciarão os seus cronogramas de vacinação.

De acordo com o Ministério da Saúde, o Dia D de mobilização nacional será no sábado (24) em todos os estados. Com a campanha, o Ministério espera reduzir o índice das doenças imunopreveníveis e também diminuir o abandono à vacinação.

Para 2016, a Campanha de Multivacinação seguirá o novo calendário do esquema vacinal das vacinas contra Poliomelite, HPV, Meningocócica C e Pneumocócica 10 valente. O Calendário Nacional de Vacinação tem alterações rotineiras e periódicas em função de mudança na situação epidemiológica, nas indicações das vacinas ou na incorporação de novas vacinas. Mudanças deste ano:

POLIOMIELITE – O esquema vacinal contra a poliomielite passou a ser de três doses da vacina injetável – VIP (2, 4 e 6 meses) e mais duas doses de reforço com a vacina oral – VOP (gotinha). Até 2015, o esquema era de duas injetáveis (VIP) e três orais (VOP). A mudança está de acordo com a orientação da Organização Mundial de Saúde (OMS) e como parte do processo de erradicação mundial da pólio. Vale ressaltar que essa substituição não prejudica a proteção das crianças, que já ficam imunizadas com as três doses injetáveis.

HPV – O esquema vacinal passou de três para duas doses, com intervalo de seis meses entre elas. Os estudos recentes mostram que o esquema com duas doses apresenta uma resposta de anticorpos em meninas saudáveis de 9 a 14 anos não inferior quando comparada com a resposta imune de mulheres de 15 a 25 anos que receberam três doses. As mulheres vivendo com HIV entre 9 a 26 anos devem continuar recebendo o esquema de três doses.

MENINGOCÓCICA – O reforço, que anteriormente era administrado aos 15 meses, passou a ser administrado aos 12 meses, preferencialmente, podendo ser feito até os 4 anos. As primeiras doses da meningocócica continuam sendo realizadas aos 3 e 5 meses.

PNEUMOCÓCICA– Redução de uma dose na vacina pneumocócica 10 valente. Passou a ser administrada em duas doses, aos 2 e 4 meses, com um reforço preferencialmente aos 12 meses, que pode ser recebido até os 4 anos. Essa recomendação também foi tomada em virtude dos estudos mostrarem que o esquema de duas doses mais um reforço tem a mesma efetividade do esquema três doses mais um reforço.

Veja Também

Terceira agência digital do País é inaugurada
Projeto proíbe exibição de animais silvestres em zoológicos, aquários e parques
Manutenção do Parque das Nações será feita com veículo elétrico
Prefeitura abre inscrições para desfile cívico de 26 de Agosto
Arraial do Banho de São João começa nesta quinta em Corumbá
Helicóptero da PM transporta peão a Santa Casa
Campo Grande receberá próxima etapa da Copa Truck
Após reportagem, indígenas de Dourados recebem cobertores
Governo divulga nota de pesar pela morte de ex-presidente da Agepen
Trânsito CCR MSVia prossegue com obras na BR-163/MS Em caso de chuvas, as obras serão suspensas