Menu
15 de outubro de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Economia

Cesta Básica custou 37% do salário mínimo em Dourados nos últimos meses

Com nove produtos mais baratos, pesquisas apontam a variação de preços em demais municípios

10 Out2019Da redação19h32

A cesta básica durante o mês de setembro teve registro de queda de preços em nove produtos e custou 37,03% do salário mínimo (R$ 998) do douradense. Esse percentual representa um valor de R$ 369,59. Os dados são da pesquisa mensal realizada pelo curso de Economia da Universidade Federal da Grande Dourados – UFGD.

Conforme apontado na pesquisa, o consumidor douradense pagou mais barato durante o nono mês do ano pelo quilo do tomate (16,53%), pela margarina (14,87%), quilo da batata (3,58%), pacote de açúcar (3,48%), no café (2,76%), no litro do leite (2,23%), no quilo da carne (1,54%), da banana (0,78%) e a farinha de trigo (0,73%).

Em contrapartida também teve aumento em alguns itens, como o óleo de soja, que ficou (9,26%) mais caro, o feijão (3,25%) e o arroz (0,81%).

O pão francês mais uma vez não apresentou variação de preço, apesar da desvalorização do real sobre o dólar. Isso é relevante, segundo os pesquisadores, porque a principal matéria-prima do pão-francês, a farinha de trigo, é importada.

“O que se percebe enquanto ao comportamento dos preços da Cesta Básica no município de Dourados neste ano é a instabilidade. Isso não significa necessariamente uma elevação de preços, já que num mês temos elevação e no outro uma queda de preços. É o que aconteceu, por exemplo, nestes três últimos meses. Em julho, a maioria dos preços da Cesta Básica diminuíram e no mês seguinte, agosto, 10 produtos aumentaram de preços. Já no mês de setembro, 9 produtos fecharam com uma queda de preços. Devemos levar em conta que os produtos que compõem a Cesta Básica dependem das estações do ano, por isso, oscilam muito de preços”, considerou a pesquisa.

Outros locais – Idealizado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), a pesquisa de preços da cesta básica também atinge outros municípios. Fica em destaque os custos nas capitais.

Em Mato Grosso do Sul, a capital Campo Grande teve custo de R$ 396,98, ou seja, quase R$ 30 mais cara que em Dourados.

São Paulo/SP foi a capital onde a cesta esteve mais cara (R$ 473,85), seguida de Porto Alegre/RS (R$ 458,29) e Rio de Janeiro/RJ (458,21). O top 3 foi repetido pelo segundo mês consecutivo. As capitais com os menores preços são localizadas na região nordeste do Brasil. Em Natal/RN o preço ficou em R$ 352,57, Salvador/BA com R$ 345,04 e Aracaju/SE, que pelo 3° mês consecutivo registra baixa no custo, com R$ 328,70

Veja Também

Obra começa e moradores de rua deixam viaduto
Carreta da Justiça Itinerante atende sul do Estado
Pescador salva onça presa em anzol de galho no rio Miranda
Ave silvestre é abandonada e PMA orienta sobre devolução espontânea
Governo Federal modifica regras para deportação de estrangeiros
Acidente Mecânico tem lesões graves após choque elétrico Acidente aconteceu quando vítima subiu no telhado da oficina
UEMS promove ações sustentáveis na  Semana Lixo Zero
Confira escala médica nas UPAs e CRSs nesta segunda-feira
Guarda Municipal recolhe modelos de espingardas que causaram morte de homem
Parceria vai agilizar atendimento às famílias de vítimas de morte natural