Menu
18 de junho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Campanha

CCR MSVia e Instituto CCR alertam sobre a exploração sexual de crianças

Iniciativa é realizada em parceria com a Childhood em referência ao Dia da Criança

10 Out2016Da redação16h35

A partir desta segunda-feira, dia 10, o Instituto CCR e a CCR MSVia promovem na BR-163/MS uma distribuição de folhetos sobre o Programa Na Mão Certa, que visa alertar os usuários da rodovia sobre a violência sexual contra crianças e adolescentes. A iniciativa é realizada em parceria com a Childhood em referência ao Dia da Criança, dia 12 de outubro e segue até sexta-feira dia 14.

No material educativo constam informações sobre o que é violência sexual, abuso sexual e exploração sexual. Também consta no folheto sobre como denunciar qualquer caso de abuso ou exploração de crianças e adolescentes, por meio do Disque 100, o Disque Direitos Humanos. O objetivo é sensibilizar os motoristas para proteger os direitos de crianças e adolescentes contra a exploração sexual nas rodovias.

Durante o período da Campanha serão exibidas mensagens sobre o Programa Na Mão Certa nos Painéis Eletrônicos de Mensagens Variáveis (PMVs) dispostos na BR-163/MS. A ação acontecerá simultaneamente em todas as unidades do Grupo CCR.

O Programa Na Mão Certa, desenvolvido pela Childhood Brasil desde 2006, tem como objetivo principal alertar e gerar soluções efetivas de prevenção e enfrentamento da exploração sexual de crianças e adolescentes nas rodovias.

Veja Também

Sitiante é autuado por manter macaco-prego em cativeiro
Anvisa suspende venda de fraldas Huggies Turma da Mônica
Colisão frontal mata duas pessoas em rodovia
Simted rejeita proposta feita pela prefeitura de Corumbá
Governo do Estado promove 113 PMs a sargento
Campanha do Agasalho do Judiciário é prorrogada até o dia 10 de julho
Castração de gatos no CCZ deverá ser agendada presencialmente
Empresário sugere proibição de fogos de artifício com ruído
Deficientes poderão ser isentos de taxa de inscrição em concursos
Projetos proíbem cursos de graduação a distância na área da saúde