Menu
21 de setembro de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Meio Ambiente

Capivaras são retiradas da Lagoa Maior em Três Lagoas

32 animais foram levados para reserva ecológica após falta de alimentos e risco de atropelamento

13 Set2019Da redação08h52

A Secretaria do Meio Ambiente transferiu  32 capivaras que moravam na Lagoa Maior para o Parque do Pombo, localizado a 130km do centro da cidade. Os animais foram soltos próximo a um córrego.

Com isso, agora existem em torno de 130 capivaras na Lagoa Maior. O manejo deve continuar até atingir 50% da quantidade de animais. A ação ocorre com autorização do IBAMA.

A medida integra o plano da Secretaria do Meio Ambiente de retirar parte das capivaras da Lagoa levando os animais  para um local onde terão maior liberdade e diversidade de alimentação. O secretário da pasta, Toniel Fernandes, reforça que a estiagem e o trânsito eram os maiores problemas enfrentados pelas capivaras.

"Desde o início da estiagem, nós começamos a complementar a alimentação delas com cana triturada, alimento que tem boa aceitação e disponibilidade mesmo na estação seca. Em busca de comida, era comum as capivaras se deslocarem para os bairros, correndo risco de serem atropeladas. O Parque do Pombo é vasto e possui vegetação suficiente para que elas se alimentem bem, sem contar que é cercado por córregos. Este trabalho é único e exclusivo para proteger e garantir o bem-estar dos animais", explicou.

Contando com reforço da Polícia Militar Ambiental, o trabalho foi feito pela equipe da SEMEA, composta pelo secretário Toniel Fernandes, a veterinária Andréa Santana, o biólogo Flávio Fardin e o coordenador de Agronegócio, Célio Lopes de Barros.

O Parque do Pombo é uma reserva com 8 mil hectares de área preservada, cercada pelo Rio Pombo e Córrego Tapera e, atualmente, é o habitat de centenas de espécies de animais e vegetais.

Veja Também