Menu
31 de maio de 2020 • Ano 9
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Saúde

Capital é habilitada em programa que beneficia pacientes em sofrimento mental

Aderindo ao projeto do Ministério da Saúde o município pode ajudar com auxílio em dinheiro

15 Out2019Da redação18h20

Pessoas em sofrimento mental, egressas de internação em hospitais psiquiátricos, inclusive em hospitais de custódia e tratamento psiquiátrico, atendidas na Rede de Atenção Psicossocial de Campo Grande, poderão contar com um auxílio-reabilitação, no valor de R$ 412,00 por mês, através da adesão ao Programa De Volta Para Casa (PVC), do Ministério da Saúde. A Portaria nº 2.709, que oficializa a habilitação do município de Campo Grande ao PVC, foi publicada na edição desta segunda-feira (14) do Diário Oficial da União (DOU).

O objetivo principal do programa é colaborar efetivamente para o processo de inclusão social das pessoas com histórico de extensos períodos de internamentos em hospitais psiquiátricos,  através do auxílio financeiro, o que deve auxiliar no custeio de despesas pessoais deste paciente.

Atualmente, o Município de Campo Grande possuí uma Residência Terapêutica com 10 leitos de internação permanente que atende pacientes com este perfil. A previsão é de que até o fim do ano uma nova unidade seja inaugurada, ampliando assim a oferta de serviço.

São requisitos para receber esse auxílio: ser egresso de Hospital Psiquiátrico ou de Hospital de Custódia e Tratamento Psiquiátrico, além da indicação para inclusão em programa municipal de reintegração social.

Será necessário que a pessoa incluída no Programa esteja de alta hospitalar, sendo atendida por um Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) ou outro serviço de saúde do município onde passará a residir. Os beneficiários deverão ser acompanhados por uma equipe de profissionais encarregada de prover e garantir a atenção psicossocial e apoiá-lo em sua integração ao ambiente familiar e social.

O pagamento mensal do auxílio é realizado diretamente ao beneficiário, por um período de um ano, podendo ser renovado quando necessário aos propósitos da reintegração social do paciente.

O município tem prazo de 30 dias, contados a partir da publicação do DOU, para formalizar a adesão ao Programa De Volta pra Casa junto à secretaria de Atenção à Saúde, do Ministério da Saúde.

 

 

Veja Também

População pode participar da revisão do Plano Diretor de Dourados
Em MS, 1% das ações trabalhistas está relacionada à pandemia
Guedes diz que país mantém determinação de 'furar ondas da crise'
Estudante será indenizado por não receber todas as aulas de curso online
Prefeitura de Dourados dá andamento a obras do projeto Lote Urbanizado
Ministério da Saúde prorroga campanha de vacinação contra gripe
Junho Verde terá ações de comemoração ao meio ambiente
Alunas da UEMS criam robô que ajuda na prevenção do coronavírus
Com ajuda do JBS, PAM de Dourados terá leitos ampliados
Ação solidária leva kits de higiene a comunidade carente