Menu
12 de dezembro de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Alerta

Blitz educativa orienta sobre prevenção contra mosquito aedes aegypti

Ação aconteceu nas ruas do bairro São Francisco e Vila Planalto

22 Nov2019Da redação16h18

Agentes da Coordenadoria de Controle de Endemias Vetoriais (CCEV) da Secretaria Municipal de Campo Grande (SESAU) realizaram, nesta sexta-feira (22), uma blitz educativa pelas ruas do bairro São Francisco e Vila Planalto, orientando motoristas e pedestres sobre a importância da prevenção e os cuidados necessários no combate ao mosquito Aedes aegypti – transmissor da dengue, zika e chikungunya.

 

 

A região escolhida para a ação faz parte da área de abrangência da UBS 26 de agosto, que registrou o maior índice de infestação predial entre todas as áreas do município - 3.5% – segundo o Levantamento Rápido de Infestação do Aedes (LiRaa), realizado neste mês de novembro.

No início desta semana, as ações a SESAU iniciou uma força-tarefa para vistorias imóveis e eliminar focos e potenciais criadouros do mosquito Aedes aegypti – transmissor da dengue, zika e chikungunya – nas áreas onde o LiRaa apontou índices superiores a 1%, considerado de alerta. A primeira região a receber os trabalhos foi a do Segredo e a ação deve se expandir para as demais localidades até o fim do ano.

A superintendente de Vigilância em Saúde da SESAU, Veruska Lahdo, reforça a importância da participação da população no combate ao Aedes aegypti, considerando que 80% dos focos do mosquito ainda são encontrados dentro dos imóveis.

“Nós fazemos essa alerta porque é importante que cada um faça a sua parte. Se todos tiverem a consciência de que é preciso união nesta guerra, certamente evitaremos epidemias futuras de doenças provocadas pelo mosquito, como a própria dengue, por exemplo”, disse.

Casos – De janeiro até o dia 19 de novembro foram registrados 16.547 casos confirmados de dengue no município. Somente em março, onde ocorreu o pico da epidemia, foram 9.721 notificações. Oito pessoas foram vítimas fatais da doença.  Casos de zika e chikungunya foram 431 e 235, respectivamente.

Prevenção

– Nas lajes e calhas, tire folhas e tudo o que impeça o escoamento da água;
– Pneus velhos ou que não estão sendo utilizados devem ser guardados em locais secos e cobertos;
– Bordas de fontes e piscinas devem ser lavadas com escova semanalmente;
– Pratos de vasos de flores e de plantas devem ser preenchidos com areia;
– Garrafas e embalagens PET podem ser encaminhadas para a coleta seletiva ou guardadas de boca para baixo;
– Caixas d’água devem estar sempre bem tampadas;
– Coloque água sanitária em ralos e locais que possam ter água parada;
– O lixo deve ser colocado em sacos plásticos fechados e depositados em lixeiras, que também devem estar tampadas;
– Potes de água de animais domésticos devem ser lavados com água e sabão;
– Materiais de construção devem ser armazenados em ambientes cobertos e secos

 

Veja Também

Embalagem de margarina terá de apresentar percentual de gordura
Pacientes com doença genética rara terão tratamento específico no SUS
Procon realizará plantão fiscal em terminal rodoviário na capital
INSS cria programa para identificar benefícios irregulares
Escolas terão que ministrar treinamentos para lidar com emergências
Hospital Regional de Ponta Porã reinaugura brinquedoteca
Ambulância com quatro pessoas capota na BR-262
Programa Fortalece Turismo encerra suas atividades amanhã dia 12
Agepen aguarda transferência de Name para Centro de Triagem
Mais de 3 milhões de alunos já estão cadastrados para a ID Estudantil