Menu
28 de maio de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega banner FIEMS - Mês da Industria
Campo Grande

Ato por respeito às mulheres mobiliza 200 pessoas na Capital

Marcha seguiu até a Orla Morena onde terminou com um sarau nesta sexta-feira

4 Ago2017Mariel Coelho, em especial para o Diário Digital.18h31
(Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • Ilda Cardoso, mãe de Mayara. (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • Maria Eduarda. (Foto: Marco Miatelo)

Com cartazes, faixas e debates cerca de 200 pessoas se reuniram nesta sexta-feira, dia 04 de agosto, para realizar ato contra a violência à mulher. A ação que se iniciou ás 16 h na Praça Ari Coelho contou com a presença da mãe de Mayara Amaral, de 27 anos, Ilda Cardoso, de 50 anos.

Mãe da musicista contou que essa ação é mais um grito para que não existam mais Mayaras assasinadas. “Peço que não se mate mais Mayaras, a minha já foi, existem várias por ai, de várias cores, etnias. Não pode se ter medo”, disse dona Ilda.

Um das organizadoras do evento Maria Eduarda, de 24 anos, contou que no dia em qual o corpo de Mayara foi descoberto mais duas amigas suas foram agredidas, sendo que uma delas chegou a perder o bebê. “A Lei Maria da Penha não funciona aqui, o governo não nos dá aparato” disse a organizadora.

A passeata seguiu pela Rua 14 de julho e terminará na Orla Morena, com um sarau voltado para as mulheres.

Veja Também