Campo Grande •28 de Março de 2017  • Ano 5
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full Banner Aguas - Campanha Março

Dayene Paz | Quarta, 28 de Setembro de 2016 - 12h40Até empresários e servidores públicos recebem Bolsa FamíliaMPF recomentou bloqueio do benefício de investigados

Informações foram apresentadas pela secretária de Assistência Social, Marcela Rodrigues e o secretário de Finanças, Disney Fernandes
Informações foram apresentadas pela secretária de Assistência Social, Marcela Rodrigues e o secretário de Finanças, Disney Fernandes (Foto: Luciano Muta)

Cerca de 5.232 mil cadastros de beneficiários do Programa do Governo Federal, o Bolsa Família, estão sendo investigados em Campo Grande. Entre eles estão empresários, servidores públicos e pessoas já falecidas. Também há doações 100 vezes superior aos valores do Bolsa Família, com valores irrisórios das campanhas de 2012 e 2014, alguns chegam a R$ 13 mil.

As informações foram apresentadas hoje pela secretária de Assistência Social, Marcela Rodrigues Carneiro e o secretário de Finanças do município, Disney Fernandes. “Recebemos também uma lista de beneficiados com suspeita de irregularidades do Ministério Público Federal, estamos fazendo as visitas e cruzando as informações”, explica Marcela.

Os beneficiários são inscritos no Cadastro Único, que é o banco de dados que promove todas as informações para programas sociais. 125 mil pessoas estão cadastradas no CadÚnico, mas nem todas são beneficiárias. “Dentre as 125 temos em Campo Grande, 25.159 famílias beneficiarias”, informa a secretária.  A média do valor é de R$ 150, com um impacto mensal de R$ 4 milhões mensais. 

Entre as irregularidades, foi averiguado que 86 pessoas, beneficiários do Bolsa Família doaram para campanhas eleitorais de 2012 e 2014; 11 servidores também doaram e cerca de  4.5 mil empresários recebem o benefício. Pessoas falecidas que continuaram recebendo somam 153.

Os técnicos da prefeitura enviam as informações para o Ministério do Desenvolvimento Social, o MDS, que faz o bloqueio do benefício, até que a investigação seja concluída. O prazo é de 60 dias, mas a prefeitura já pediu um prazo maior.

Veja Também
Reforma da 4ª Delegacia de Polícia está em fase de conclusão
Alerta: tipos de pisada têm influência na saúde
Janot entrega proposta sobre crimes de abuso de autoridade
Reforma da Previdência precisa ouvir o povo, diz CNBB
Projeto prevê que shoppings ofereçam espaço gratuito para artesãos de MS
Juiz recusa adiamento e miss presídio vai a júri
Funsat vai ao Coophatrabalho, Estrela do Sul e José Abrão
Classificados em processo seletivo para merendeiro são convocados
Senac abre inscrições para curso de Design de Sobrancelha
Estelionatário se passa por médico e pede dinheiro em nome do Regional
Square Banner Sicredi
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
Rec banner - cirurgia.net
DothShop
DothNews
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento