Menu
20 de janeiro de 2020 • Ano 9
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Governo estadual

Aprovados em concurso da Sefaz clamam por nomeação

Candidados doaram sangue a um agente tributário para chamar atenção do governo

28 Jan2015Valdelice Bonifácio18h48
Bruno Batista, 25 anos, quer deixar de atuar como advogado para ser fiscal de rendas (Foto: Victor Chileno)
  • Candidatos aprovados em concurso da Sefaz esperam por nomeação para os cargos; concurso atraiu 12 mil pessoas
  • Bruno Batista, 25 anos, quer deixar de atuar como advogado para ser fiscal de rendas (Foto: Victor Chileno)
  • Jussara Cristiane Rodrigues, 35 anos, e Elisângela Blanco Insaurrade, 29 anos, querem ser nomeadas para a vaga de agente tributário (Foto: Victor Chileno)
  • Candidatos aprovados em concurso da Sefaz compareceram ao Hemonúcleo da Santa Casa para doar sangue nesta tarde (Foto: Victor Chileno)
  • Candidatos aprovados em concurso da Sefaz compareceram ao Hemonúcleo da Santa Casa para doar sangue nesta tarde (Foto: Victor Chileno)
  • Bruno Batista doa sangue no Hemonúcleo da Santa Casa durante mobilização para que o governo do Estado faça as nomeações (Foto: Victor Chileno)
  • (Foto: Victor Chileno)

Candidatos aprovados no concurso da Secretaria Estadual de Fazenda (Sefaz) para agente tributário e fiscal de rendas realizado ano passado cobram nomeação que até agora não saiu. O concurso, inclusive, foi alvo de questionamentos judiciais devido a supostas irregularidades. Contudo, foi homologado em julho de 2014, mas nenhum candidato foi chamado pelo governo. Nesta quarta-feira, 28 de janeiro, um grupo de aprovados doou sangue como forma de ajudar um agente tributário que está internado na Santa Casa e ainda chamar atenção do governo do Estado.

“Não estamos exatamente protestando, mas sim nos mobilizando para que o governo não se esqueça de nós. O Estado precisa do nosso trabalho. Sem agentes e sem fiscais não há arrecadação e a sonegação cresce”, opina Gabriel Bezerra Bonguignon, de 33 anos, aprovado para uma das vagas de fiscal de renda.

“Arrecadação é um ponto fundamental para o Estado”, afirma Bruno Batista Gonzaga, de 25 anos. Ele é advogado, mas prestou o concurso da Sefaz atraído pela estabilidade da carreira de fiscal de rendas. O governo do Estado ofereceu salário inicial de R$ 10 mil. Quando tomar posse não poderá mais exercer a atividade de advogado, mas está decidido a mudar de ofício.

O concurso da Sefaz mexeu com muitas vidas. Foram 12 mil os inscritos. Entre eles está Elisângela Blanco Insaurralde, 29 anos. Ele deixou o emprego no Banco do Brasil para o qual era concursada na função de escriturária e ganhava cerca de R$ 3 mil para estudar para o certame. Ela ficou em 47º lugar na lista dos aprovados para a carreira de agente tributário. “O quadro de trabalhadores da Secretaria de Fazenda está defasado, o que reforça a necessidade de sermos nomeados”, diz ela.

Governo – Por meio da assessoria de comunicação social, o governo informou que está passando por um período de readequação financeira. Também está sendo realizado um recadastramento de servidores públicos , o que permitirá conhecer a necessidade de cada setor do governo. Apenas depois dessa fase é que o governo do Estado estudará providências em relação aos concursos públicos.

Sangue – Agente tributário por quem o grupo se mobilizou é Josceli Rogério Gomes Pereira, de 51 anos. Ele precisou de sangue, pois passou por uma cirurgia cardíaca nesta semana. Segundo familiares, ele está se recuperando no CTI e, em breve, deve ser encaminhado para um quarto.

Veja Também