Menu
19 de novembro de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Estado

Agesul é 1º alvo de programa de combate à corrupção

Visitas nas diretorias do órgão estão mapeando processos e rotina dos trabalhos e do fluxograma

14 Jul2019Da redação08h00

O Programa MS de Integridade (PMSI) começou a primeira fase com visitas direcionadas às 10 diretorias da Agência Estadual de Empreendimentos (Agesul). Foi constituído um Grupo de Trabalho com quatro representantes da Coordenadoria Jurídica da Procuradoria-Geral do Estado (PGE), na Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra), responsável pela aplicação do Programa Piloto no órgão estadual.

O PMSI propõe que os responsáveis pelas atividades das organizações e áreas afins trabalhem, conjuntamente, de forma coordenada, a fim de garantir uma atuação íntegra, minimizando os possíveis riscos de integridade. O Programa MS de Integridade deverá ser estruturado considerando os principais eixos de suporte às ações e às medidas que irão constituir o seu conteúdo.

O procurador-Chefe da Coordenadoria Jurídica da PGE, Jaime Caldeira Jhunior, fala sobre a incumbência de participar do Programa Piloto. “É uma responsabilidade muito grande. Nosso objetivo é fazer um trabalho que tenha efetividade e que se torne permanente na Agesul”.

Participam da implantação do Programa Piloto a Agesul – na qual a PGE está à frente –, a Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro) e a Subsecretaria de Comunicação (Subcom) – ligada à Secretaria de Estado de Governo e Gestão Estratégica (Segov)

As visitas nas diretorias são para o mapeamento dos processos e rotina dos trabalhos e do fluxograma. “Temos a função de detectar como começam os procedimentos e no que eles resultam para a população. Faremos um trabalho alicerçado em três avaliações [Macro, Detalhado e Operacional] com o intuito de detectar os gargalhos, os pontos sensíveis suscetíveis à corrupção e desenvolver ferramentas para solucioná-los juntamente com os servidores das diretorias para otimizar os serviços prestados. A ideia é fazermos um brainstorming [em português “tempestade de ideias”] para chegarmos em um resultado mais positivo, eficiente e eficaz”.

Ele ainda comenta que a implantação do Programa MS de Integridade terá resultados efetivos a médio e longo prazos, pois “é um trabalho de aculturamento, vem para identificar e editar um código de ética. Ainda vamos criar um canal de denúncias entre a população e o Estado, sempre com o intuito da transparência e dos princípios éticos”.

É importante ressaltar que para o legítimo sucesso do Programa Piloto é fundamental o comprometimento da alta direção dos órgãos envolvidos, o treinamento constante dos servidores e o monitoramento implacável das atividades. “Esses três quesitos são fundamentais para colhermos resultados positivos e de evolução”.

Programa MS de Integridade - O Programa MS de Integridade é uma inovação trazida pela Lei Anticorrupção. A criação dele foi publicada no Diário Oficial do Estado pelo Decreto nº 15.222, de 7 de Maio de 2019.

De acordo com o Decreto, a Segov e a Controladoria-Geral do Estado (CGE), conjuntamente, deverão adotar medidas para a sistematização de práticas relacionadas à integridade do setor público, mediante a criação e a implantação do PMSI.

O Programa de Integridade também conhecido como “Programa de Compliace” é um conjunto de medidas e de ações institucionais voltadas à prevenção, detecção, punição e à remediação de fraudes e de atos de corrupção, compondo a estrutura de incentivos organizacionais, visando a orientar e a guiar o comportamento dos agentes públicos de forma a alinhá-los ao interesse público.

De acordo com a publicação, no prazo de 18 meses, a contar da data de publicação do decreto, os órgãos e as entidades públicos estaduais (secretarias, autarquias, fundações, empresas públicas e sociedades de economia mista), deverão aderir ao PMSI, mediante a formalização de um Termo de Adesão pactuado com a Secretaria de Estado de Governo (Segov) e a Controladoria-Geral do Estado (CGE).

Os prazos de início e de término da implantação do PMSI, assim como o seu conteúdo, serão ajustados entre as partes, conforme a disponibilidade de recursos técnicos, financeiros e humanos, de modo que os cronogramas de execução sejam factíveis e efetivos, de acordo com o nível de maturidade em que se encontrarem os controles internos e o gerenciamento de riscos da organização aderida.

Veja Também

Prefeitura deve multar consórcio Guaicurus
Terça-feira com máxima de 34°C
Rua 14 de Julho recebe acabamento para inauguração
Selo Arte abre horizonte de oportunidades em MS, diz Reinaldo Azambuja
Renovação de matrículas em Três Lagoas começa nesta terça-feira
Fim de semana teve duas mortes por afogamento na Capital
Uso do cinto de segurança nos ônibus interestaduais ganha campanha educativa
Vídeo de jacarés fugindo de trator no Pantanal repercute nas redes sociais
Guardas são afastados das ruas após ação em terminal
Prato baiano de jacaré e hamburguer vencem festival