Menu
6 de junho de 2020 • Ano 9
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Agepen e Aneel

Agências iniciam 2ª Campanha de Fiscalização de Segurança de Barragens

Ações incluem inspeção da obrigatória articulação dos empreendimentos com a Defesa Civil

13 Ago2019Da redação17h17

A  Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), em parceria com agências estaduais conveniadas, dará início à Campanha de Segurança de Barragens do 2° semestre de 2019. O foco da campanha consiste na avaliação de conformidade do Plano de Segurança de Barragens - PSB e Plano de Ação de Emergência – PAE, e na implantação do PAE e articulação com a Defesa Civil. Serão fiscalizadas usinas que não foram vistoriadas na Campanha do 1º semestre.

Em Mato Grosso do Sul, a Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos (Agepan) vai fiscalizar as usinas São Domingos e Verde 4, instaladas no Rio Verde, entre os municípios de Água Clara e Ribas do Rio Pardo); e Indaiazinho, instalada no Rio Indaiá Grande, no município de Cassilândia.

Em junho, a Aneel promoveu reunião de nivelamento de informações com a Agepan e demais agências estaduais e o encaminhamento de todos os documentos preparatórios. Finalizada a preparação no mês de julho, as fiscalizações acontecem neste mês de agosto, com previsão de término em novembro.

A equipe da Agepan inicia as inspeções a campo no dia 13, com previsão de término dessa etapa no dia 30.

Cronograma

USINA

MUNICÍPIO(S)

RIO

AÇÃO PRESENCIAL (Visita na Usina)

 
 

PCH Verde 4 (19.000 kW)

RIBAS DO RIO PARDO / ÁGUA CLARA

Verde

Dias 13 e 14/08/2019

 

UHE São Domingos     (48.000 kW)

RIBAS DO RIO PARDO / ÁGUA CLARA

Verde

Dias 15 e 16/08/2019

 

PCH Indaiazinho (12.500 kW)

CASSILÂNDIA

Indaiá Grande

Dias 29 e 30/08/2019

 

Um diferencial dessa Campanha é a presença maior da Defesa Civil. Representantes das unidades de Defesa Civil de cada um dos municípios abrangidos foram formalmente convidados a estar presente na usina. “A Aneel reforçou bastante esse aspecto nessa nova campanha de fiscalização, porque é essencial checar o grau de articulação entre o operador e essas instituições, averiguar se existe a necessária organização e conferir junto aos Municípios se os planos de contingência que cada um deles possui para questões de segurança inclui ações de enfrentamento a potencial rompimento de barragens”, explica o diretor da Agepan, Valter Almeida da Silva.

Em cada uma das usinas, o roteiro de fiscalização inclui:

·         Reunião de abertura, quando são apresentados os participantes, apresentada a própria fiscalização, e apresentada a empresa (contendo  detalhamento solicitado pela Agência previamente);

·         Verificação documental – Plano de Segurança de Barragem, Plano de Ação Emergencial, documentação sobre Índice de Segurança (ISB) e Formulário de Segurança (FSB);

·         Encontro na usina com representantes da Defesa Civil de Municípios potencialmente atingidos

·         Inspeção a campo – que subsidia o preenchimento de uma extensa lista de conferência.

Uma reunião de encerramento marca o fechamento dessa etapa. Até novembro, serão elaborados relatórios de fiscalização e definidas eventuais notificações e tomadas de decisão.

Veja Também

Como prevenir acidentes com eletricidade em dias de chuva
PMA apreende 1.000 metros de redes de pesca
Live arrecada alimentos e fraldas para entidades sociais de MS
MS terá mais um fim de semana de temperaturas amenas
Confira passo a passo para obter licenciamento através de aplicativo
Blitz sanitárias abordaram mais de 2,8 mil na Capital
Política de gestão das águas tem adesão de 431 indústrias em MS
TJMS altera competência de varas cíveis de Campo Grande
Com o tema ´Fogo Mata´, Reflore/MS lança campanha contra incêndios
Piscinas públicas da Capital voltam a funcionar em Agosto