Menu
18 de janeiro de 2020 • Ano 9
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Interior

Ação leva consultas a moradores das aldeias Jaguapiru e Bororó

Foram prestados cerca de 1.100 atendimentos gratuitos em saúde

11 Ago2019Da redação14h41

Com apoio do Hospital Universitário da Universidade Federal da Grande Dourados (HU-UFGD), cerca de 1.100 atendimentos gratuitos em saúde foram realizados na Reserva Indígena de Dourados. A ação, organizada e executada pela Associação Médicos da Floresta em parceria com a Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI), contou com a presença dos residentes do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde, cuja área de concentração é Saúde Indígena.

A Ação Atendimento Clínico - Dourados levou às aldeias Jaguapiru e Bororó assistência em oftalmologia, clínica médica e odontologia, incluindo a realização de exames, indicação de cirurgias e execução de procedimentos odontológicos diversos. O grupo de residentes do HU-UFGD ficou responsável por fazer triagem, cadastro de pacientes, preenchimento de prontuários e orientações gerais de prevenção a doenças crônicas como hipertensão e diabetes.

Ao todo, 10 residentes integraram a ação, sendo três enfermeiros, três psicólogos e quatro nutricionistas que, em função da vivência já obtida durante o programa de residência possuem familiaridade com o ambiente e comunicação humanizada com os pacientes indígenas.

Além disso, o Núcleo de Saúde Indígena do hospital auxiliou na logística das atividades, fornecendo 40 refeições diárias aos integrantes da equipe assistencial e intermediando, junto à UFGD, a disponibilização de micro-ônibus e motorista para o transporte dos profissionais até a Vila Olímpica na Aldeia Bororó, onde foram realizadas as atividades. Também atuou como parceiro o Rotary Club Guaicurus, que doou lanches aos pacientes.

Ação Atendimento Clínico - Entidade civil sem fins lucrativos fundada em 2016, a Associação Médicos da Floresta é composta por médicos e gestores com experiência na prestação de serviços voluntários na área da saúde em comunidades indígenas. Conta com uma equipe multidisciplinar de voluntários, incluindo profissionais de saúde, engenharia, administração e direito.

Para 2019, o grupo planejou a realização de três ações, sendo duas em Roraima e uma em Mato Grosso do Sul, cujos atendimentos foram finalizados em Dourados. Entre as atividades executadas: pelo menos 900 consultas oftalmológicas e 200 consultas odontológicas – que incluíram 700 procedimentos em exodontia, cirurgia parendodôntica, endodontia, reconstrução, restauração e próteses dentárias.

Pelos atendimentos clínicos em oftalmologia, foi possível identificar pacientes cirúrgicos de catarata e pterígio, que já saíram da ação com os exames complementares realizados, incluindo o cálculo da lente intraocular que será inserida na cirurgia de catarata. Está sendo estudada, também, a possibilidade de um retorno futuro da equipe para que os procedimentos cirúrgicos sejam efetuados.

Além da equipe da Associação e dos residentes do HU-UFGD, profissionais das mais diversas áreas do Distrito Sanitário Especial Indígena de Mato Grosso do Sul (DSEI/MS) no Polo Base Dourados integraram a ação, por meio do Programa SESAI em Ação. Ao todo, aproximadamente 70 pessoas trabalharam nas atividades.

Veja Também

Centro Poliesportivo Vila Almeida proporciona esporte e lazer na Região Oeste
TJ determina pagamento de plano de saúde de ex-cônjuge
Prefeitura de Três Lagoas orienta população a denunciar terrenos sujos
Pré-matrícula em escolas de Corumbá pode ser feita até dia 27
Confiram interdições de ruas para este fim e início de semana na Capital
Psicólogos atendem na praça neste sábado
Oficinas gratuitas de esporte e lazer retornam na próxima semana
Apresentado projeto de rede coletora de esgoto do Rita Vieira
DOF aborda carro para fiscalização e encontra foragido
Chuva chega à Capital acompanhada de ventos