Menu
16 de agosto de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega Banner 2 SEGOV - Campanha Hepatite
Universidade

Acadêmicos treinam profissão e cidadania na Hora do Recreio

Projeto de universidade da Capital leva donativos e atividades a ONG que atende crianças em vulnerabilidade social

12 Jun2018Valdelice Bonifácio14h00
Cláudia Ruas, professora do Curso de Publicidade e Propaganda da UCDB
  • A acadêmica de Publicidade Giovanna Barbosa, 20 anos, fotografou e divertiu as crianças na Hora do Recreio
  • Cláudia Ruas, professora do Curso de Publicidade e Propaganda da UCDB
  • A acadêmica Jaqueline Himoto, de 22 anos: O trabalho social é importante em todas as profissões
  • O acadêmico Alberto Lincoln, do 3º semestre de Educação Física da UCDB
  • Mariana Lino, 21 anos, distribuía feliz os cachorros quentes que ela mesma montou na cozinha
  • O menino Glauco Mariano participou de todas as atividades na Hora do Recreio
  • Agnaldo de Araújo, coordenador da ONG Ampare
  • Professora Cláudia Diniz, do Curso de Educação Física, da UCDB
  • Hora do Recreio também teve música para animar a ação
  • A pequena Cecília Gabriela Pereira, de 10 anos
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)

Estudantes universitários descobriram que o momento perfeito para treinar a futura profissão é a Hora do Recreio. Acadêmicos da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), em Campo Grande (MS), participam do projeto que leva donativos, cultura, esporte e diversão a crianças de um projeto  social da Capital. Assim, eles treinam o que aprendem na sala de aula e ainda praticam a cidadania.

Neste ano, o projeto cumpriu sua terceira edição. As crianças da Organização Não Governamental (ONG) Salesianos Ampare, no Bairro Tiradentes, tiveram um dia inteiro de atividades oferecidas pelos acadêmicos com direito a cachorro quente e sorvete no final da tarde. Tudo é providenciado pelos próprios universitários que organizam o evento e até vão para a cozinha preparar os alimentos. Foram eles também que arrecadaram cobertores, alimentos e calçados doados à entidade assistencial.

A Hora do Recreio começou dentro da disciplina 'Inteligência Competitiva: promoção,  merchandising e eventos' ministrada pela professora Cláudia Ruas no curso de Publicidade e Propaganda. Todos os anos, os alunos do 5º semestre são divididos em grupos para organizar a ação. Com as tarefas distribuídas, os alunos devem realizar na prática tudo o que a disciplina ensina."O começo de qualquer evento é o planejamento. Os próprios alunos planejam a ação. São montadas as comissões de organização, entretenimento, busca de patrocínio e divulgação. A disciplina é sobre eventos. Eles precisam fazer tudo o que é necessário para um evento bem-sucedido. Além disso, exercem sua função social, ou seja, trabalham seu lado cidadão, fazendo algo para melhorar  a vida da comunidade", explica Cláudia Ruas.

Para participar das atividades, os acadêmicos cunharam a expressão 'Publicitários do Bem' que define o que querem ser quando terminarem a faculdade. "Acho que o trabalho social é importante em todas as profissões. Isso ajuda na formação do nosso caráter e vai refletir nos profissionais que seremos depois da universidade. Também é uma ótima oportunidade ver como funciona a vida fora da faculdade", analisa a estudante Jaqueline Himoto, de 22 anos.

Jaqueline integrou a comissão organizadora que supervisiona todo o trabalho no dia do evento e providencia tudo o que as equipes precisam. "Neste ano, encontramos empresas  dispostas a ajudar. Conseguimos mais de mil pães de cachorro quente só em doações", comenta a jovem. "É um momento incrível para nós também. Não há palavras para descrever o que a  gente sente quando vê o sorriso no rosto destas crianças", acrescenta.Outra acadêmica de Publicidade Giovanna Barbosa, 20 anos, participou da comissão do entretenimento. Ela e os colegas prepararam brincadeiras e teatrices para as crianças da ONG. Amante da fotografia,  Giovanna levou uma máquina para a ação. Assim, ela divertia as crianças que colocavam adereços coloridos para posar para as lentes e, ao mesmo tempo, treinava suas habilidades como fotógrafa. "É um trabalho que ajuda muito em nossa formação, pois trabalha a criatividade que é fundamental para o publicitário. Além disso, é uma gratificante tarefa. É uma oportunidade de fazer as crianças se divertirem de forma diferente do dia a dia", relata.

A acadêmica Mariana Lino, 21 anos, distribuía feliz os cachorros quentes que ela mesma montou na cozinha. "O contato humano é necessário para qualquer formação. Também estou muito satisfeita por estar aprendendo a organizar um evento voltado para a parte social. Considero um aprendizado importante", avalia.

Frequentador do projeto, o pequeno Giovani dos Santos, 10 anos, também estava feliz. "O mais legal é que eles trazem coisas diferentes pra cá", diz o menino que se divertiu com as brincadeiras, fantasias e músicas trazidas pelos acadêmicos.Educação Física - Além do pessoal da Publicidade e Propaganda, a Hora do Recreio atraiu também o Curso de Educação Física que, neste ano, se somou à ação e levou esportes às crianças do Ampare. E da mesma forma que os acadêmicos de Públicidade, os estudantes divertem os pequenos ao mesmo tempo que treinam o que aprendem em sala de aula. Conforme a professora Cláuda Diniz, as disciplinas do curso são levadas para as atividades com as crianças, tais como Ginástica, Judô, Volei e Basquete. Os professores avaliam o desempenho dos universitários durante as atividades na ONG valendo nota.

"Estamos sempre analisando como eles se portam com as crianças. O profissinal de educação física tem que estimular a prática do exercício. E se por ventura a criança não quiser? É aí que o profissional não pode ser dar por vencido. Ele tem que ter um plano B ou até um plano C", explica a professora. O curso de Educação Física levou cerca de 50 acadêmicos do 3º e 7º semestre para a atividade.

Entre os estudantes estava Alberto Lincoln, do 3º semestre. Ele enaltece a dupla função do evento Hora do Recreio. "É uma oportunidade de colocar o que aprendemos em prática juntando com o lado social. Também considero positivo para as crianças. Dentro das escolas, eles não têm a oportunidade de vivenciar tantos esportes diferentes como fazemos aqui", diz Alberto  que participou das aulas de basquete. "É preciso ter postura responsável, afinal de contas estamos sendo avaliados e recebendo nota", completa.Empolgado com tantas possibilidades estava o menino Glauco Mariano de Paula, 12 anos. Ele paticipou de tudo o quanto pode no dia de atividades. Cheio de energia passou várias vezes pela ginástica, por exemplo. Contudo, para Glauco, a Hora do Recreio é um momento especial que vai além da adrenalina dos esportes e da diversão. "Acho que o que eu mais gosto é do carinho que eles demonstram pela gente", revela.

Ampare - A Ampare atende cerca de 350 crianças entre seis e 13 anos moradoras da região do Tiradentes, sempre no  contraturno da escola, de segunda a sexta-feira. Parte dos atendidos está em risco ou vulnerabilidade social.

A entidade oferece atividades esportivas e também artísticas como aulas de dança e música. São servidas refeições,  lanches e frutas todos os dias. "Nós reforçamos as refeições na segunda-feira que é quando eles estão voltando de  um fim de semana e na sexta-feira que é quando estão indo para o sábado e domingo", relata o coordenador da ONG Agnaldo de Araújo.Conforme o coordenador, as doações dos acadêmicos do evento Hora do Recreio são muito bem-vindas na entidade. "Eles trouxeram alimentos variados, além de roupas de meia-estação e de frio, como casacos. Tudo poderá ser  muito útil para as crianças", acredita. Neste ano, inclusive, houve um diferencial entre as doações. Os acadêmicos entregaram livros e materiais escolares. "As crianças vivem uma  ansidade esperando pelo dia do Hora do Recreio. Pois é um momento de uma confraternização especial", define Agnaldo.

A Ampare fica na Avenida Ocenania, 409, Bairro Tiradentes. O telefone é  (67) 3341-4779.

Veja Também

Réu pega 18 anos, mas não vai pra cadeia
Projeto cria programa para reduzir amputações decorrentes de diabetes
‘Cassems Itinerante’ leva atendimento a quatro municípios no sábado
Estação Peg-Fácil da Rua 14 de Julho continua em funcionamento
Projeto autoriza MP a investigar abusos cometidos por policiais
TRF3 manda recadastrar e distribuir cestas a indígenas de MS
Balança inteligente traça perfil de saúde
Quase 90% das crianças está sem vacina
MP recomenda que Nova Alvorada implemente Projeto Família Acolhedora
Aplicativo avisa pais sobre falta dos alunos