Menu
25 de janeiro de 2020 • Ano 9
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Vôlei

Ponta Porã traz o bronze da Superliga Nacional de Vôlei Adaptado

Mato Grosso do Sul participou com 21 equipes nas competições que aconteceram em São Paulo

26 Dez2019Da Redação12h48

Ponta Porã conquistou a medalha de bronze na final nacional da Superliga de Vôlei Adaptado. O campeonato, promovido pela Confederação Brasileira de Voleibol Adaptado (CBVA), foi disputado no Ginásio Municipal Antônio Carlos Natalone, em São José do Rio Preto-SP, de 14 a 16 de dezembro.

Participaram aproximadamente 1,5 mil atletas, de 55 equipes, de cinco unidades federativas: São Paulo, Mato Grosso do Sul, Paraná, Espírito Santo e Minas Gerais. As partidas foram realizadas nas categorias +69, +59 e +47, nos gêneros masculino e feminino.

O terceiro lugar foi obtido na categoria +47 masculino. São José do Rio Preto-SP ficou com a prata e Santos-SP encerrou a competição com a medalha dourada. Mato Grosso do Sul foi representado em todas as categorias, com o total de 21 equipes, de Três Lagoas, Ponta Porã, Maracaju, Campo Grande e Rochedo.

- Feminino +69: Três Lagoas, Ponta Porã e Maracaju;

- Feminino +59: Maracaju, Três Lagoas, Ponta Porã e Campo Grande;

- Feminino +47: Três Lagoas, Rochedo, Maracaju, Ponta Porã e Campo Grande;

- Masculino +69: Três Lagoas e Ponta Porã;

- Masculino +59: Três Lagoas, Campo Grande, Maracaju e Ponta Porã;

- Masculino +47: Ponta Porã, Três Lagoas e Campo Grande.

Segundo o presidente da CBVA, Lucas Rodrigo Dimarco, a modalidade voltada a idosos cresce em termos de visibilidade e adesão de atletas nos últimos 15 anos. Apesar de ter começado com o objetivo de promover a inclusão, socialização, melhora da autoestima e das capacidades físicas, atualmente há significativa competitividade entre as equipes dos cincos Estados, sempre presentes em certames a nível nacional.

O vôlei adaptado é uma modalidade esportiva semelhante ao voleibol convencional, regido pelas regras oficiais, com alterações que o tornam mais apropriado aos atletas da melhor idade. Normalmente, a quadra possui as mesmas especificações e dimensões do voleibol oficial. A altura da rede para o gênero feminino é de 2,24 metros e para o masculino 2,43 metros.

As principais modificações em relação ao vôlei tradicional são observadas no saque e recepção. No primeiro fundamento, a bola pode ser arremessada ou golpeada com uma das mãos por baixo ou lateralmente, desde que essa ação se dê abaixo da linha dos ombros. Na recepção, o jogador pode segurar a bola com uma ou duas mãos e, posteriormente, passá-la para que a equipe efetue os três toques antes do envio à quadra adversária.

 

 

Veja Também

Projeto Futuro Paralímpico retorna com modalidades para atletas e iniciantes
Águia Negra vence o Pontaporanense na primeira partida do Estadual
Estadual de Futebol tem início nesta quarta-feira
Decisão sobre abertura do Morenão sai até sexta-feira
Pista de Atletismo inaugura em fevereiro
Ex-ídolo do Galo é salvo por uruaios
Vistorias garantem segurança do torcedor no Morenão
Judoca de MS conquista ouro no Parapan-Americano para deficientes visuais
Escola da Capital desenvolve vôlei de praia por meio de programa da Fundesporte
Projeto em parque de Campo Grande fomenta as categorias de base do ciclismo