Campo Grande •20 de Setembro de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
ALMS - Gestão para Pessoas

Mariel Coelho, em especial para o Diário Digital. | Quinta, 31 de Agosto de 2017 - 15h00'Me senti voando', diz deficiente visual que saltou de 45mSalto de Bungee Jumping proporciona sensação de liberdade a deficientes visuais

  
Valdir Lustosa, de 43 anos, 'voando' de Bungee Jumping, experiência extraordinária para ele (Foto: Marco Miatelo)
  • Valdir Lustosa, de 43 anos, 'voando' de Bungee Jumping, experiência extraordinária para ele
  • Organizador do evento Rodrigo Cezar. (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • Claudio Benites. (Foto: Marco Miatelo)
  • Momento em que Valdir e Josiane realizavam o mapeamento do local. (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • Josiane se preparando para o salto. (Foto: Marco Miatelo)
  • Valdir subindo para o salto. (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)

Saltar de Bunguee Jumping é uma experiência marcante para quem procura esportes radicais. Porém, para Valdir Lustosa, de 43 anos e Josiane Pereira, 33 anos, foi um momento extraordinário. A dupla é deficiente visual e encarou o salto de 45 metros de alto no estacionamento do shopping Bosque dos Ipês, em Campo Grande, onde a atividade será realizada até 3 de setembro.

Valdir e Josiane são atletas e corajosos. Eles que já desceram uma cachoeira de rapel, saltaram de paraquedas e agora foi a vez de pular de Bungee Jumping. Os dois se atiraram felizes ao voo.
Antes do salto, Valdir e Josiane fizeram o mapeamento do local, tateando o guindaste, o gancho, a gaiola e o “Air Bag” uma espécie de colchão que fica posicionado de onde as pessoas fazem o salto.

O professor que acompanhou a dupla Cláudio Benites conta que fazer esse mapeamento é importante para os deficientes visuais. “Eles precisam ter essa referencia através dos sentidos”, explica Cláudio.

Na hora de subir para saltar, a felicidade no rosto de Valdir era visível. Logo após o salto ele nos contou que a sensação é muito boa e que parecia que ele estava voando. Segundo ele, é uma sensação diferente do paraquedas. “No salto de paraquedas a gente fica com os braços presos e aqui a sensação é muito diferente, eu me senti como se eu estivesse voando”, contou Valdir após o salto.

Josiane gostou tanto que queria mais. “Gostei demais, queria ir de novo.” Ela que ainda não saltou de paraquedas, agora irá treinar para a próxima aventura que pretende encarar.

Valdir conta que sempre gostou de esportes e era um sonho saltar de Paraquedas. “No dia do salto foi maravilhoso. Era como se eu pudesse voar, a sensação de 100% de liberdade, a gente sai do tradicional. Não tem obstáculo nenhum”, disse Valdir sobre o salto de paraquedas. Já Josiane que é estudante de Administração e atleta contou que já fez rapel e gostou muito.

O organizador do evento Rodrigo Cézar mais conhecido no mundo dos esportes radicais como “Donatello” relembrou o início da participação de Valdir, no salto de paraquedas. “Nos estávamos desenvolvendo um evento do Pantanal Paraquedismo e o professor Cláudio  nos procurou dizendo que desenvolvia um trabalho com deficientes visuais e que um deles tinha muita vontade de saltar de Paraquedas. Então ele me pediu cortesias para que ele pudesse pular, fiquei muito empolgado e disse nossa claro que sim”, disse Rodrigo.

O professor Claudio Benites disse que a iniciativa de desenvolver trabalho com os deficientes surgiu quando praticava um rapel noturno. “E aí me perguntei qual seria a sensação que um deficiente visual praticando esse tipo de esporte. Daí pra frente fui amadurecendo a ideia. Eu entrei na faculdade de Educação Física, e no final do curso quando fui desenvolver meu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). E durante o desenvolvimento do trabalho eu conheci o Valdir, e no final do ano passado ele desceu de rapel comigo, depois saltou de paraquedas e agora o Rodrigo o convidou a saltar de bungee jumping”, relata.

Esquenta - De acordo com Rodrigo, esse pequeno tempo em que o esporte estará no Shopping é apenas um "esquenta" para o Pantanal Radical, que será realizado no feriadão de outubro, entre os dias 10,11 e 12, também no estacionamento do shopping Bosque dos Ipês. O evento terá voo de helicóptero, balonismo, bungee jumping e paraquedismo.

O valor do salto de Bungee Jumping é de R$ 200, mas quem levar 2 kg de alimento não perecível terá desconto de 10% no primeiro lote. No segundo lote o preço vai para R$ 180 e um quilo de alimento não perecível.

Veja Também
Depois de polêmica, CBF aplicará árbitro de vídeo no Brasileirão
Abertas inscrições para turmas de vôlei, basquete, natação, tênis e lutas
Palmeiras enfrenta o Coritiba e mira o G-4
Confira os resultados da 24ª rodada do Brasileirão
MS conquista 16 medalhas
Fim de semana tem emoções do vôlei de praia na Capital
Judoca de Campo Grande conquista o ouro nos jogos escolares
Tite surpreende e convoca a Seleção com novidades
Campo Grande abre inscrições para os jogos dos servidores municipais
Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia começa quarta-feira no Parque das Nações Indígenas
Square banner notícias UCI
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
Rec banner - Patio central
DothNews
DothShop
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento