Campo Grande •23 de Novembro de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full banner Governo - Governo Presente - Matrícula

Mariel Coelho, em especial para o Diário Digital. | Quinta, 31 de Agosto de 2017 - 15h00'Me senti voando', diz deficiente visual que saltou de 45mSalto de Bungee Jumping proporciona sensação de liberdade a deficientes visuais

  
Valdir Lustosa, de 43 anos, 'voando' de Bungee Jumping, experiência extraordinária para ele (Foto: Marco Miatelo)
  • Valdir Lustosa, de 43 anos, 'voando' de Bungee Jumping, experiência extraordinária para ele
  • Organizador do evento Rodrigo Cezar. (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • Claudio Benites. (Foto: Marco Miatelo)
  • Momento em que Valdir e Josiane realizavam o mapeamento do local. (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • Josiane se preparando para o salto. (Foto: Marco Miatelo)
  • Valdir subindo para o salto. (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)

Saltar de Bunguee Jumping é uma experiência marcante para quem procura esportes radicais. Porém, para Valdir Lustosa, de 43 anos e Josiane Pereira, 33 anos, foi um momento extraordinário. A dupla é deficiente visual e encarou o salto de 45 metros de alto no estacionamento do shopping Bosque dos Ipês, em Campo Grande, onde a atividade será realizada até 3 de setembro.

Valdir e Josiane são atletas e corajosos. Eles que já desceram uma cachoeira de rapel, saltaram de paraquedas e agora foi a vez de pular de Bungee Jumping. Os dois se atiraram felizes ao voo.
Antes do salto, Valdir e Josiane fizeram o mapeamento do local, tateando o guindaste, o gancho, a gaiola e o “Air Bag” uma espécie de colchão que fica posicionado de onde as pessoas fazem o salto.

O professor que acompanhou a dupla Cláudio Benites conta que fazer esse mapeamento é importante para os deficientes visuais. “Eles precisam ter essa referencia através dos sentidos”, explica Cláudio.

Na hora de subir para saltar, a felicidade no rosto de Valdir era visível. Logo após o salto ele nos contou que a sensação é muito boa e que parecia que ele estava voando. Segundo ele, é uma sensação diferente do paraquedas. “No salto de paraquedas a gente fica com os braços presos e aqui a sensação é muito diferente, eu me senti como se eu estivesse voando”, contou Valdir após o salto.

Josiane gostou tanto que queria mais. “Gostei demais, queria ir de novo.” Ela que ainda não saltou de paraquedas, agora irá treinar para a próxima aventura que pretende encarar.

Valdir conta que sempre gostou de esportes e era um sonho saltar de Paraquedas. “No dia do salto foi maravilhoso. Era como se eu pudesse voar, a sensação de 100% de liberdade, a gente sai do tradicional. Não tem obstáculo nenhum”, disse Valdir sobre o salto de paraquedas. Já Josiane que é estudante de Administração e atleta contou que já fez rapel e gostou muito.

O organizador do evento Rodrigo Cézar mais conhecido no mundo dos esportes radicais como “Donatello” relembrou o início da participação de Valdir, no salto de paraquedas. “Nos estávamos desenvolvendo um evento do Pantanal Paraquedismo e o professor Cláudio  nos procurou dizendo que desenvolvia um trabalho com deficientes visuais e que um deles tinha muita vontade de saltar de Paraquedas. Então ele me pediu cortesias para que ele pudesse pular, fiquei muito empolgado e disse nossa claro que sim”, disse Rodrigo.

O professor Claudio Benites disse que a iniciativa de desenvolver trabalho com os deficientes surgiu quando praticava um rapel noturno. “E aí me perguntei qual seria a sensação que um deficiente visual praticando esse tipo de esporte. Daí pra frente fui amadurecendo a ideia. Eu entrei na faculdade de Educação Física, e no final do curso quando fui desenvolver meu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). E durante o desenvolvimento do trabalho eu conheci o Valdir, e no final do ano passado ele desceu de rapel comigo, depois saltou de paraquedas e agora o Rodrigo o convidou a saltar de bungee jumping”, relata.

Esquenta - De acordo com Rodrigo, esse pequeno tempo em que o esporte estará no Shopping é apenas um "esquenta" para o Pantanal Radical, que será realizado no feriadão de outubro, entre os dias 10,11 e 12, também no estacionamento do shopping Bosque dos Ipês. O evento terá voo de helicóptero, balonismo, bungee jumping e paraquedismo.

O valor do salto de Bungee Jumping é de R$ 200, mas quem levar 2 kg de alimento não perecível terá desconto de 10% no primeiro lote. No segundo lote o preço vai para R$ 180 e um quilo de alimento não perecível.

Veja Também
Renato Gaúcho pode entrar para a história com o Grêmio
Libertadores: Grêmio usa drone para espionar Lanús
Quase um ano do
Confira o que falta para terminar a Série B
Palmeiras busca a vice-liderança contra o Avaí
Prefeitura abre vagas para a escolinha de futsal de Brasilândia
Superliga masculina leva a melhor sobre o JF Vôlei
Confira tudo sobre a 36ª rodada do Brasileirão
Jogos Radicais Urbanos movimentam Campo Grande
Confira quem ainda briaga por vaga na Libertadores da América
Square banner notícias UCI
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothShop
Rec banner - Patio central
DothNews
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento