Campo Grande •11 de Dezembro de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full banner ALMS - Materiais Campanha Gestão para Pessoas Sustentação

Da redação com Agência Brasil | Sábado, 17 de Setembro de 2016 - 16h31Paralímpicos rejeitam rótulosAtletas não querem ser chamados de super-humanos e de exemplos de superação

Desde o início da Paralimpíada, dezenas de recordes foram quebrados e o público pôde ver performances incríveis em quadras, pistas e piscinas. Ainda na cerimônia de abertura dos Jogos, no dia 7, o presidente do Comitê Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman, fez um discurso em exaltação aos atletas. Empolgado, Nuzman utilizou os adjetivos “super-humanos” e “heróis” referindo-se àqueles que competiriam a partir do dia seguinte. Ainda que bem-intencionado, o elogio de Nuzman não encontra respaldo nos próprios atletas, que rejeitam rótulos e querem ser vistos como esportistas de alto rendimento.

Os atletas do paradesporto têm uma rotina puxada, com horas diárias de treinos, musculação e fisioterapia, e buscam sempre o limite da sua performance. Essa performance foi vista no Rio nos últimos dias, com várias quebras de recordes mundiais e paralímpicos na natação e no atletismo, por exemplo. Durante toda a Paralimpíada, que chegou à reta final, esse desempenho foi traduzido por parte da mídia e da sociedade como um exemplo de superação de pessoas que vencem diariamente os obstáculos da deficiência física ou mental.

“Nossas dificuldades a gente já superou no passado. Hoje, estamos acostumados com a nossa lesão, adaptados. Nós somos atletas de alto rendimento”, diz Guilherme Camargo, atleta da seleção brasileira de rugby em cadeira de rodas.

Veja Também
Projetos esportivos promovem a saúde e revelam talentos
Bonito recebe etapa do estadual de beach tennis no fim de semana
Final do Motocross Nacional será domingo em Rochedo
Confira os campeões da Copa Cidade de Voleibol
Escola pública de futebol tem 12 núcleos instalados
Título da FVee será decidido neste domingo no autódromo da Capital
Brasil jogará contra Suíça, Costa Rica e Sérvia na Copa
Tri color da América
Quinta, 30 de Novembro de 2017 - 07h42Delegações agradecem governo do Estado e comemoram volta dos Jogos da Melhor Idade 324 homens e 286 mulheres inscritos nos Jogos estarão envolvidos até o próximo sábado nas disputas
Confira como a Chapecoense está um ano após a tragédia
Square banner notícias UCI
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothShop
DothNews
Rec banner - Patio central
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento