Menu
16 de dezembro de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Mega Banner Pátio Central - Natal
Vôlei feminino

Em Brasília, Brasil é superado pelos Estados Unidos

Brasileiras e norte-americanas voltarão à quadra na próxima terça-feira para o segundo amistoso entre as equipes, em Uberaba

12 Ago201813h22

A seleção brasileira feminina de vôlei lutou, mas não conseguiu superar os Estados Unidos no primeiro dos quatro amistosos entre as equipes. Neste domingo (12.08) de Dia dos Pais, as norte-americanas levaram a melhor sobre as brasileiras por 3 sets a 1 (25/19, 25/28, 26/28 e 25/16), no ginásio Nilson Nelson, em Brasília (DF). A equipe do treinador José Roberto Guimarães contou com o apoio de 7.411 torcedores que incentivaram o time verde e amarelo durante toda a partida.

O Brasil disputará mais três amistosos contra os Estados Unidos. Nos dias 14, às 19h, e 16, às 20h, em Uberaba, no Centro Olímpico – UFTM. O último, no dia 18, às 19h30, acontecerá no Rio de Janeiro, no Maracanãzinho.

Neste domingo, o técnico José Roberto Guimarães comentou sobre a importância de realizar amistosos preparatórios contra a forte seleção dos Estados Unidos neste percurso antes do Campeonato Mundial.

“Jogar contra a seleção norte-americana vai ser importante exatamente para nos dar esse parâmetro na preparação para o Mundial. Elas jogam com uma velocidade diferente, têm uma relação de bloqueio e defesa muito bem posicionada, além de uma transição de contra-ataque muita veloz. Então, planejamos jogar contra os Estados Unidos exatamente por isso. Esses jogos vão fazer com que o nosso time se adapte cada vez mais a essa velocidade imprimida pelo time americano”, disse o treinador.

Um dos destaques na partida deste domingo, a ponteira Rosamaria, que entrou ao longo do jogo, também destacou o valor desta série de amistosos contra a equipe norte-americana.

“O time delas tem um volume de jogo muito alto e uma velocidade diferente do que estamos acostumadas e os amistosos são justamente para isso. Temos mais três pela frente e espero que o grupo continue evoluindo. Estamos buscando essa estabilidade. Precisamos corrigir a nossa parte defensiva e tenho certeza que vamos treinar ainda mais para fazer um jogo melhor em Uberaba”, opinou Rosamaria.

Nascida em Brasília, a oposto Tandara foi uma das mais festejadas pela torcida e procurada pela imprensa local. A jogadora contou com uma torcida especial e comemorou o fato de estar em casa no Dia dos Pais.

“Estar em Brasília é muito bom e importante. Tem mais de 50 pessoas na arquibancada entre família e amigos que vieram torcer por mim, encontrei técnicos que fizeram parte do meu crescimento, e é muito especial estar aqui. Além disso, é sempre muito bom interagir com a torcida. Trazer um jogo da seleção para cá é bom para aproximar ainda mais o torcedor da gente”, concluiu Tandara.

O JOGO

Contando com o apoio da torcida, o Brasil começou melhor e fez 8/4. Os Estados Unidos cresceram de produção e viraram o marcador (10/9). Se aproveitando dos erros do time verde e amarelo, a equipe visitante abriu dois pontos (14/12). As norte-americanas cresceram de produção e abriram quatro pontos (19/15). As jogadoras dos Estados Unidos seguiram com uma atuação superior até o final e venceram o primeiro set por 25/19.

Tandara abriu o segundo set, que esteve empatado em 3/3. Com a central Bia, a seleção brasileira marcou 5/5 e, no erro do adversário, passou um na frente. Bem no saque, a seleção dos Estados Unidos assumiu o comando do marcador e, com dois aces seguidos, chegou a 10/7. Neste momento, Zé Roberto pediu tempo. A vantagem norte-americana seguiu em três pontos em 13/10. Com ponto de saque de Amanda, o Brasil marcou 14/16. Sem conseguir conter as adversárias, a equipe brasileira teve um tempo quando o placar foi a 20/15. Na sequência do set, os Estados Unidos ainda chegaram a 23/16 e depois fecharam em 25/18.

No bloqueio de Adenízia, a seleção brasileira abriu o terceiro set. Com bom saque, o time norte-americano chegou ao empate em 5/5. Contando com erros das brasileiras, as adversárias marcaram 10/7. OP Brasil reagiu e encostou no placar em 10/11. Com Rosamaria, que veio do banco, bem em quadra, a seleção brasileira assumiu o comando do placar em 15/14 e foi a vez do time adversário pedir tempo. Na reta final do set, o time dos Estados Unidos marcou 21/18. O Brasil reagiu e, com bloqueio de Gabi, encostou no marcador: 21/22. Adenízia deixou tudo igual em 22/22. O set seguiu disputado até Tandara marcar 24/24. Bia fez 26/26. E, com Rosamaria brilhando em quadra, o Brasil virou o set e fechou em 28/26.

O quarto set começou equilibrado, com um de vantagem para os Estados Unidos em 5/4. Quando as adversárias abriram três de vantagem (8/5), Zé Roberto pediu tempo. A seleção norte-americana seguiu melhor e no comando do jogo: 14/8. Explorando o bloqueio adversário, Lowe marcou 18/11. Com ampla vantagem, os Estados Unidos chegaram a 21/13. No bloqueio de Bia, o Brasil fez 16/22. No final, vitória dos Estados Unidos por 25/16.

Veja Também