Campo Grande •23 de Agosto de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full banner SEGOV - Mesmo na crise Obras

Da redação | Sexta, 18 de Novembro de 2016 - 11h00Mostra de Cinema Italiano começa na próxima segunda-feira, no MISSessões começam às 19h e a entrada é franca

 O Museu da Imagem e do Som da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul realiza de 21 a 25 de novembro mais uma edição do CineMIS com a Mostra Cinema Italiano, que exibe sempre às 19 horas filmes com entrada franca.

A Mostra apresenta clássicos de grandes diretores italianos, como “A Estrada da Vida”, de Federico Fellini, “Feios, sujos e malvados” de Ettore Scola, “Robopag – Relações Humanas”, com direção de Jean-Luc Godard e Pier Paolo Pasolini e “A Morte”, com direção de Bernardo Bertolucci.  E também um filme moderno, “Ágata e a tempestade”, comédia romântica de 2004, dirigida por Silvio Soldini. “A mostra alterna drama e humor como é característico do cinema italiano”, comentou o curador Pietro Luigi.

Com essa agenda, o Museu da Imagem e do Som vem cumprindo sua função social de democratizar o acesso às produções audiovisuais do país e do mundo, além de promover o debate e a reflexão, no sentido de contribuir com a formação e a difusão de conhecimento e cultura no Estado.

Confira a sinopse dos filmes:

21/11 – segunda-feira

A Estrada da Vida. Direção: Federico Fellini. Drama. 1h45. Gelsomina (Giulietta Masina) é vendida pela mãe para o brutamonte Zampanò (Anthony Quinn), estrela de um número em que arrebenta correntes amarradas em seu corpo. A jovem auxilia Zampanò e passa a também ser apresentar como palhaça, seguindo o estilo de Chaplin. A garota é constantemente maltratada pelo homem, que ainda a agride sempre que tenta fugir. Quando os dois se juntam a um circo, Gelsomina fica encantada com Bobo (Richard Basehart), provocando ciúmes em Zampanò.
22/11 – terça-feira

Ágata e a tempestade. Direção: Silvio Soldini. Comédia Romântica. Itália, 2004. 118 min.

Um clima surreal percorre a vida de Ágata (Licia Maglietta), dona de livraria em Gênova que indica livros aos clientes como se fossem remédios. Possuidora de uma intensa energia, literalmente, ela é capaz de provocar curtos-circuitos e queimar lâmpadas. Ela namora Nico (Claudio Santamaria), 13 anos mais jovem, e também o irmão gêmeo dele, o que provoca algumas confusões. O clima de perplexidade se completa quando Ágata descobre que Gustavo (Emilio Solfrizzi), que sempre pensou ser seu irmão, na verdade, é irmão de outra pessoa. Neste clima de ambiguidade e redescobertas, Ágata põe à prova seus conceitos e sua atitude diante da vida.
 

23/11 – quarta-feira

Feios, sujos e malvados. Direção: Ettore Scola. Comédia Dramática. Itália, 1976.1h55. Roma, Itália. Giacinto Mazzatella (Nino Manfredi) vive em um barraco com sua esposa, dez filhos e diversos outros parentes. Devido ao pouco espaço disponível, eles dormem praticamente um ao lado do outro. Giacinto guarda uma boa quantia em dinheiro, mas, temendo ser roubado, sempre o mantém escondido. Isto irrita sua família, que não pode usá-la para melhorar um pouco de vida. A situação chega ao limite quando Giacinto leva para casa sua amante, o que faz com que a família passe a planejar seu assassinato que faz com que a família passe a planejar seu assassinato.
 

24/11 – quinta-feira

Rogopag – Relações Humanas. Direção: Jean-Luc Godard, Pier Paolo Pasolini. Comédia dramática. Itália, 1963.2h02. O filme é composto da reunião de quarto curtas-metragens de grandes cineastas: "Pureza", de Roberto Rossellini, mostra as aventuras de uma jovem aeromoça comprometida na fuga ao assédio de um executivo americano; "O Mundo Novo", de Jean-Luc Godard, é um romance futurista em que a separação de um casal coincide com o Holocausto nuclear; "A Ricota", de Pier-Paolo Pasolini, mostra um cineasta (Orson Welles) que realiza, na periferia de Roma, um filme sobre a Paixão de Cristo e "O Frango Caseiro", de Ugo Gregoretti, uma jovem família que, influenciada por um anúncio, parte para o campo comprar uma casa nova.
 

25/11 – sexta-feira

A Morte. Direção: Bernardo Bertolucci. Drama. Itália, 1962. 88 min. À margem do rio Tibre, na periferia de Roma, é encontrado um corpo de uma prostituta assassinada. A polícia faz vários interrogatórios com uma série de suspeitos para tentar desvendar o caso. O policial, cujo rosto não aparece, sabe que cada um deles passara pelo parque Paolino, o último lugar que a prostituta se encontrava com vida. Cada um conta como foi seu dia até chegar ao parque na noite do assassinato. Primeiro um assaltante relata a sua história, depois um ex-condenado, um soldado, o homem dos chinelos de madeira e Pipito, um jovem carente da periferia. As histórias acontecem em flashbacks e são intercaladas com a prostituta acordando no fim da tarde com um temporal. Todos os relatos são divididos em antes e depois do temporal, que serve para marcar o início da noite. No final, a polícia descobre que um homossexual foi testemunha do assassinato e essa testemunha reconhece o assassino e ele é preso.

Veja Também
Museu da Imagem e do Som abre nesta terça a Semana da Fotografia
Melhores opções de passeios em Bonito na semana do saco cheio
Circuito gastronômico oferecerá 37 pratos com desconto na Bom Pastor
Sesc realiza concerto  musical  com “Melodia” de Álvaro Henrique
Balanço Geral estará ao vivo, nesta sexta-feira, nas Moreninhas
Aero Rancho recebe projeto meu bairro é show no domingo
Feira Central de Campo Grande realiza XII Festival do Sobá
Cine Sesc exibe romance policial “Caminho para o Nada”
Programação infantil do Sesc tem contação, oficina de arte e cineminha
Ancine: 2016 registra recorde de público nos cinemas brasileiros
Square banner notícias UCI
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothNews
Rec banner - Patio central
DothShop
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento