Campo Grande •20 de Novembro de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full banner Governo - Governo Presente - Matrícula

Da Agência Brasil | Segunda, 28 de Agosto de 2017 - 11h05Salários e materiais mais caros pressionam custo da construção civilLevantamento é feito pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas

Custo da construção acelerou este mês ao passar de uma variação de 0,22% em julho para 0,40% em agosto
Custo da construção acelerou este mês ao passar de uma variação de 0,22% em julho para 0,40% em agosto (Foto: Agência Brasil/ Tomaz Silva)

O Índice Nacional de Custo da Construção do Mercado (INCC-M) acelerou este mês ao passar de uma variação de 0,22% em julho para 0,40% em agosto. Nos últimos 12 meses, o índice acumula avanço de 4,36%. Houve aumento médio tanto de materiais, equipamentos e serviços (de 0,03% para 0,20%) quanto da mão de obra (de 0,37% para 0,56%).

O levantamento é feito pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV/Ibre) e foi calculado com base nos preços praticados entre 21 de julho e 20 de agosto em sete capitais: Salvador, Brasília, Belo Horizonte, Recife, Rio de Janeiro, Porto Alegre e São Paulo. Esse índice é um dos três componentes do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M).

Em relação ao grupo de materiais, equipamentos e serviços, a maior elevação ocorreu nos itens de acabamento (de 0,16% para 0,37%).Em média, os materiais e equipamentos apresentaram aumento de 0,22% ante 0,03%.

Também ficou mais caro contratar serviços que passou de 0,06% para 0,10%. Para alugar máquinas e equipamentos, as construtoras tiveram de desembolsar 0,14% acima do registrado em julho, mês em que o valor da locação tinha caído 0,9%.

Reajuste de salários

A alta do INCC-M foi influenciada ainda pela concessão de aumentos salariais no Rio de Janeiro e Porto Alegre. Das sete capitais pesquisadas, cinco indicaram alta no custo da construção.

Em Belo Horizonte, o índice teve aumento de 0,21% ante uma estabilidade em julho. No Recife, ocorreu reversão saindo de uma baixa de 0,06% para uma alta de 0,29%.

No Rio de Janeiro, foi constatada forte correção, passando de 0,53% para 2,18%. Em Porto Alegre, o índice subiu de 1,12% para 1,30% e, em São Paulo, de 0,02% para 0,05%. Já em Salvador, houve queda de 0,06% ante 0,02% e, em Brasília, o custo desacelerou (de 0,37% para 0,09%).

Veja Também
CDL Campo Grande empossa novo presidente nesta terça-feira
Promoção da Sicredi Centro-Sul MS chega à reta final
MS tem menos devedores em 2017
Campanha Nome Limpo começa hoje
Taxa de religação de energia é considerada ilegal
Campanha Nome Limpo espera atender 15 mil pessoas
Comércio pode não ter horário especial de Natal este ano
Agência da Energisa abre no sábado para negociar débitos dos clientes
Plantão do IPTU atenderá contribuintes neste sábado
Sexta, 17 de Novembro de 2017 - 07h20Começa a segunda etapa de pagamento do PIS-Pasep a idosos Pagamentos começaram em outubro deste ano
Square banner notícias UCI
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
Rec banner - Patio central
DothShop
DothNews
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento