Menu
21 de maio de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega banner FIEMS - Mês da Industria
Milho

Colheita termina na próxima semana

Produção teve crescimento de 50% em relação ao ano passado

2 Set2017Laureano Secundo07h08

A colheita de milho 2ª safra 2016/2017 deve ser concluída na próxima semana. O trabalho das máquinas evoluiu 7,1% na última semana e fazendo com que a porcentagem colhida chegasse a 86,3% no estado. Os dados são do Siga MS (Sistema de Informação Geográfica do Agronegócio), ferramenta criada e mantida pela Aprosoja/MS (Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul). Entre os dias 18 e 25 de agosto, 126.250 hectares foram colhidos em Mato Grosso do Sul, média 3,6% superior em relação à safra 2015/2016 para a data de 25 de agosto. Com isso, a região norte está mais próxima do fim da colheita, com 97% de área concluída. A região sul tem 86,3% da área colhida e, a região centro, 78,8%.

Na comparação com os dados da safra 2015/2016, estima-se até o momento aumento de 3,4% de área plantada no Estado, passando de 1,74 milhões de hectares para 1,80 milhões de hectares. Com disso, projeta-se acréscimo de 50,5% em relação à produção do grão (de 6,098 milhões de toneladas na safra 2015/2016 para 9,180 milhões de toneladas na safra 2016/2017) e acréscimo de 45,5% de produtividade, com valor de 85 sc/ha na safra atual.

Ao mesmo tempo em que os trabalhos de campo estão na fase final, o preço médio da saca do milho em Mato Grosso do Sul registra forte alta. É o que consta no Boletim Agrícola divulgado pelo Departamento de Economia do Sistema Famasul – Federação de Agricultura e Pecuária de MS. A cotação média da saca encerrou o período 01 e 28 de agosto em R$ 17,44, verificando avanço de 9,84%. Entre as praças pesquisadas, o destaque ficou por conta de Caarapó, com alta de 12,5%, onde a saca registrou R$ 18.

De acordo com o economista Luiz Gama, do Sistema Famasul, dentre os fatores que justificam essa valorização se destaca a demanda internacional aquecida. “A expectativa de aumento nas exportações de milho até o final de agosto é muito boa. Soma-se a isso as recentes altas do dólar, que avançou 2,6% na primeira quinzena deste mês, e o produtor que, por enquanto, não tem marcado presença no mercado em função do baixo preço pago pela saca”, esclarece.

O Estado comercializou antecipadamente até o início desta semana, 43,5% da 2ª safra de milho 2017. Outra boa notícia é que, apesar de algumas precipitações significativas em várias regiões, o clima tem colaborado para a evolução da colheita em todo estado. Conforme o último levantamento do Siga/MS – Sistema de Informação Geográfica do Agronegócio, 79,2% da área de milho já foi colhida. A previsão para o ciclo 2016/2017 é de 9,2 milhões de toneladas, com produtividade média estimada em 85 sacas por hectare.

 

Veja Também