Menu
20 de outubro de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega Banner CCR-MS Via
Variação

Procon-MS divulga pesquisa de preços dos combustíveis

Estudo foi realizado com análise em 81 postos dea Capital, variação chega a 22,88%

12 Jun2018Luany Mônaco14h51

Uma pesquisa da Superintendência para orientação e Defesa do Consumidor (Procon-MS) divulgada nesta terça-feira (12) traz os preços da gasolina comum, gasolina aditivada, etanol e diesel comum pesquisados entre os dias 5 e 7 de junho, em 81 postos de combustíveis de Campo Grande. A variação máxima de preços entre os postos chegou em 22,88% no caso do diesel.

De acordo com os dados apresentados na pesquisa a gasolina comum foi encontrada com menor preço no Posto Bonatto-Três Barras, Posto Seara e Posto Shell Bonatto custando R$ 4,04, já o maior preço da cidade foi encontrado no Posto Aliança, custando R$ 4,49. A variação de preços da gasolina comum marcou 11,25%.

No caso do etanol o menor preço foi encontrado no Posto Bonatto-Três Barras, Posto Modelo, Posto Seara e Posto Shell Bonatto custando R$ 3,09, o maior preço do combustível foi visto no Posto Sem limite e Posto Norte e Sul chegando a custar R$ 3,39 tendo variação de valores de 9,68%.

Já o Diesel, tão falado nas últimas semanas, teve o melhor preço marcado no Posto Bonatto-Três Barras, Posto Seara, Posto Shell Boanatto e Posto Bonatto-Arthur Jorge custando R$ 3,41, já o maior preço do combustível foi encontrado no Posto Pantanal marcando R$ 4,19 o litro. Foi o diesel quem marcou a maior variação de preço na Capital, o total é de 22,88% de diferença nos postos.

A superintendente do Procon-MS, em exercício, Patrícia Mara da Silva, analisa que é necessário promover a concorrência sadia e o respeito às normas consumeristas, já que estas objetivam o equilíbrio nas relações entre consumidores e fornecedores: “Percebe-se, claramente, que houve uma queda considerável nos preços dos combustíveis, e esses podem cair mais ainda, se houver, por parte dos postos de combustíveis, uma concorrência leal e o respeito às normas e aos consumidores”, finaliza.

O resultado da pesquisa também aponta que houve queda nos preços dos combustíveis, quando comparados com os preços adotados no período de 21 a 30 de maio, quando o País passou por um período de greve da categoria dos caminhoneiros. O Procon-MS reforça ainda que  os consumidores devem desenvolver o hábito da pesquisa de preços, em busca do preço baixo, respeito e qualidade na aquisição de produtos e serviços.

O órgão esclarece ainda que não há tabelamento de combustíveis, já que a política adotada pelo governo brasileiro, em todo o território nacional, adota a liberdade de preços, mas lembra também que o Código de Defesa do Consumidor (Lei nº 8.078/90) considera abusiva e ilegal a elevação de preços sem justa causa.

Todos os produtos pesquisados, bem como os endereços dos estabelecimentos e comparativos de preços podem ser visualizados na pesquisa ou também no site do Procon Estadual. O Procon-MS, ligado à Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast), disponibiliza o número 151 e o Fale Conosco do site aos consumidores para informações e denúncias.

(Com informações da Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho)

Veja Também