Campo Grande •17 de Outubro de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full Banner FM Cidade

Da redação | Sábado, 8 de Outubro de 2016 - 15h47Preço da soja e do milho em MS se mantém estável em setembroUm dos motivos para a estabilidade do preço da soja é a comercialização lenta

Segundo levantamento, preço dos grãos permaneceram estável
Segundo levantamento, preço dos grãos permaneceram estável (Foto: Divulgação)

O sojicultor sul-mato-grossense recebeu, em média, R$ 71,38 pela saca de soja em setembro deste ano, com leve alta de 0,18% em relação ao que era cotado no mês. Os dados são do último Informativo Casa Rural, elaborado pelo Departamento de Economia do Sistema Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de MS.

Em relação ao mesmo período do ano passado, houve retração nominal de 1,44%.

O analista econômico do Sistema Famasul, Luiz Eliezer Gama, explica que um dos motivos para a estabilidade do preço da soja é a comercialização lenta.

"Dentro do mês de setembro, houve um crescimento de apenas 1,07 ponto percentual do volume comercializado nesta safra. O produtor está muito focado no plantio da oleaginosa e não está olhando tanto para o mercado", avalia.

Simultaneamente, para Gama, há influência dos Estados Unidos, que está em época de colheita. "Essa contraposição ao avanço do plantio no Brasil causa maior lentidão no mercado interno", explica o economista.

A expectativa para os próximos meses ainda é de relativa estabilidade. "Os Estados Unidos terão produção recorde, o que poderá influenciar os preços no mercado brasileiro. Conforme a colheita americana avança, a projeção é de que os preços se mantenham em torno de R$ 70 em Mato Grosso do Sul, mas vai depender também do movimento da taxa de câmbio", evidencia Luiz Eliezer.

Milho

A saca de milho encerrou o mês de setembro negociada em média a R$ 32,13, com alta de 0,59%. No comparativo com setembro de 2015, houve alta de 37,3%. O analista explica que o aumento das exportações resultou na escassez do mercado interno. "Com a valorização do dólar, o milho ficou muito competitivo, o que ocasionou a aceleração das exportações", afirma. No acumulado de janeiro a setembro deste ano em relação ao ano passado, houve crescimento de 37,14% no volume exportado.

Outro ponto a considerar é a quebra da safra do milho em mais 30% em Mato Grosso do Sul. A expectativa inicial era colher mais de 9 milhões de toneladas, os números atuais se mantêm em 5,9 milhões, o que resulta na manutenção do preço ainda elevado no mercado interno.

Veja Também
JBS paralisa compra e abate de bovinos no Estado
Refis: obrigações acessórias de ICMS podem ser parceladas
Caixa e BB antecipam em dois dias pagamento do PIS/Pasep a correntistas
Refis estadual é o último pelos próximos quatro anos
Boletim Focus prevê inflação de 3% para este ano, segundo Banco Central
Restituição do Imposto de Renda dá R$ 2,8 bi a 2,3 milhões de contribuintes
Segunda, 16 de Outubro de 2017 - 08h08Brasil manda missão à Espanha para tentar vender mais frutas Brasil participa como convidado da organização e terá um pavilhão exclusivo no evento
Petrobras aumenta preço da gasolina
Plantio da soja atinge 5% da área prevista
Sexta, 13 de Outubro de 2017 - 10h17Casa da Moeda tem novo diretor Ato foi assinado pelo presidente Michel Temer
Square banner notícias UCI
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothNews
Rec banner - Patio central
DothShop
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento