Menu
24 de abril de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega Banner Governo do Estado - Gestão por Competência
Economia

País perdeu 74.748 vagas formais em outubro, mostra Caged

Dados são levantados com base em declarações enviadas pelos empregadores ao Ministério do Trabalho

24 Nov2016Da Agência Brasil17h02

Em outubro, 74.748 vagas formais foram fechadas no país, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados hoje (24) pelo Ministério do Trabalho.

A perda de empregos ficou abaixo da registrada em outubro de 2015, quando houve fechamento de 169.131 vagas. No acumulado do ano, o Caged contabiliza 751.816 postos a menos. Nos últimos 12 meses, o país acumula 1,5 milhão de postos de trabalho suprimidos.

Os setores que tiveram as maiores perdas de vagas formais foram construção civil (-33.517 postos), serviços (-30.316 postos) e agricultura (-12.508 postos).

Apenas o setor do comércio apresentou saldo positivo no mês passado, com criação de 12.946 postos de trabalho. A indústria da transformação, que havia apresentado saldo positivo em agosto e setembro, fechou 5.562 vagas em outubro.

As perdas mais significativas de vagas foram registradas em São Paulo (-21.995 postos) e no Rio de Janeiro (-20.563). As unidades da Federação que mais geraram empregos foram Alagoas (5.832), Rio Grande do Sul (2.386), Sergipe (1.932 postos) e Santa Catarina (1.267 vagas).

Divulgado desde 1992, o Caged apura o estoque de vagas formais de emprego no país calculando a diferença entre contratações e demissões. Os dados são levantados com base em declarações enviadas pelos empregadores ao Ministério do Trabalho.

Veja Também

Em MS, 70% vão às compras para o Dia das Mães
Governo pode adiar reajuste dos servidores, diz ministro da Fazenda
Brasil terá perda de 30% nas exportações de frango para a Europa
MS tem dois frigoríficos embargados pela Europa
Petrobras aumenta preços de combustíveis nas refinarias
MS teve recorde de exportação
Banco Central estuda criar sistema de pagamento instantâneo
Economia Confiança do empresário recua pela primeira vez após oito meses No cálculo do índice, valores abaixo de 50 pontos indicam falta de confiança do empresário
Contribuinte pode obter ajuda para declarar IR no Pátio Central
Projeto garante isenção de IR para indústrias de MS