Menu
20 de maio de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Economia

Nova modalidade de empréstimos por cartões promete revolucionar as finanças pessoais

Defesa ao consumidor pede cautela

10 Mai2019Da redação09h56

O Brasil é considerado um dos países que possui uma das mais altas taxas de juros de empréstimos do mundo. Não só os juros bancários são elevados, também o fato do dinheiro ser tido como um elemento caro no país, reflete em outros âmbitos como nos preços dos demais produtos do mercado tais como nas roupas, eletrônicos, produtos alimentícios no geral, entre outros.

Com o intuito de facilitar e incentivar o consumo, desde do ano passado, 2018, está em debate um projeto que visa uma nova modalidade de financiamento ao mercado consumidor. Esta discussão está sucedendo na Febraban (Federação Brasileira dos Bancos), e têm a intenção da implantação de um sistema de crediário nos cartões de crédito do consumidor brasileiro a partir já deste ano de 2019.

Para quem têm interesse em saber um pouco mais detalhadamente sobre estas propostas elaborados pela Febraban: estão disponíveis on-line, em um livro digital, e que possui acesso gratuito. O presidente da Febraban, Murilo Portugal,  analisa que o ano de 2019 será um ano de avanço do crescimento econômico, em detrimento dos anos passados de foram de crise neste setor.

Murilo Portugal considera ainda que a asserção do novo governo presidencial com respeito à tornar o mercado financeiro brasileiro completamente independente do Banco Central e consequentemente de qualquer ação política será muito benéfica e certificará uma maior estabilidade financeira, assim como do poder aquisitivo do Real.

Como funcionará o sistema crediário no cartão de crédito?

O sistema crediário a partir do cartão de crédito, funciona no momento em que o consumidor realiza uma determinada compra: nesta hora o crédito seria concedido automaticamente pela instituição financeira ou bancária em questão. Os juros para esta operação seriam mais baixos que o normal e os prazos estabelecidos para o pagamento seriam mais extensos. Desta forma, espera-se que o poder de consumo dos cidadãos brasileiros se ampliem significativamente, o que é um fator bastante positivo para o crescimento da economia do país.

Funcionará de uma maneira muito simples, o indivíduo que aderir ao sistema crediário, na hora em que for passar o cartão na “maquininha”, aparecerá três opções de pagamento: débito, crédito parcelado, crédito à vista ou no recente crediário. O consumidor poderá simular os juros correspondentes ao crediário na hora da compra na própria máquina da instituição comercial.

As regras com relação às taxas de juros e às respectivas cotas a serem pagas mensalmente estarão a cargo de serem estabelecidas por cada instituição financeira e bancária. Estas empresas irão considerar o perfil de seus consumidores, como já sucede atualmente quando se define o limite de crédito a cada indivíduo. 

O diretor do setor executivo da ABECS (Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços), Ricardo Vieira, afirma que a perspectiva é de que esta função esteja vigente dentro dos três primeiros meses do presente ano de 2019. Segundo o diretor, com a implementação deste tipo de operação, as taxas de juros seriam equivalentes às do crédito consignado, que são apontadas como umas das mais baixas do mercado de finanças.

Benefícios para consumidores e comerciantes

Renato Vieira, diretor da Abecs, defende que o comerciante irá adquirir vantagens, porque cobrará os preços das mercadorias parceladas à vista, diferentemente do que ocorre nas vendas tradicionais com um cartão.

Felipe Pires, professor do MBA de Finanças do Ibmec do estado do Rio de Janeiro, destaca que o comerciante terá benefícios com o novo tipo de empréstimo bancário ou financeiro por meio do cartão de crédito, pois mais de 40% das vendas de varejo são pagas em cuotas, pelos brasileiros. O consórcio passará um gasto que anteriormente pertencia ao dono do comércio ao consumidor. Porém vale ressaltar que, ao mesmo tempo, o cliente poderá ter acesso a um maior número de parcelas e a taxas de juros muito mais inferiores do que com relação ao sistema de crédito tradicional.

De acordo com a ACSP (Associação Comercial de São Paulo), o crediário é uma opção a ser considerada para a maioria dos empresários brasileiros, e caberá a cada um escolher se lhe será conveniente ou não, segundo as variadas necessidades de cada um.

Condições e Instituições Bancárias

As condições sobre os limites e as taxas de juros a serem estabelecidos para esse tipo de empréstimo crediário, serão delimitadas por cada banco e instituição financeira, segundo o regulamento particular de cada uma. Sem dúvidas elementos como o histórico bancário do consumidor e seu perfil de risco irão ser avaliados.

Alguns bancos já confirmaram sua adesão a esta função de crediário: Santander, Bradesco, Itaú e Votorantim. Algumas credenciadoras, como por exemplo, a Rede e a Gerber já concretizaram este ofício. O Nubank anunciou que não irá participar.

O cartão Mastercard é um bom exemplo de um cartão de crédito em que poderá ser utilizado o sistema crediário. É um cartão mundialmente reconhecido e no Brasil é bastante popular entre seus consumidores. Amplamente empregado e com distintas funções que se adaptam à seus usuários, seu número de aderentes é de aproximadamente 25 milhões. Agora os consumidores também poderão fazer empréstimos com cartão de crédito Mastercard.

Antes

Cuidados que o consumidor deverá ter

O professor do MBA de Finanças do Ibmec, Pires, também alerta para o fato do quão substancial é que os cidadãos brasileiros deverão efetuar um ótimo planejamento de seus orçamentos financeiros mensais. Isto, porque a facilidade deste tipo de crédito é bastante tentadora, e as chances de que uma dívida seja gerada e acumulada é potencial.

Outro ponto que deverá ser considerado com cautela é sobre qual empresa financeira contratar. A recomendação é que o consumidor execute uma investigação profunda e detalhada antes de realizar qualquer contratação com um determinado banco ou instituição financeira. É cada vez mais comum casos de fraudes neste setor, empresas que usam nomes falsos de outras que são muito reconhecidas para aproveitar-se dos consumidores, principalmente em contratações on-line.

É orientado também que o cliente efetue muitas simulações de suas possíveis taxas de empréstimo com distintas empresas. Somente desta forma se poderá adquirir uma visão abrangente de suas múltiplas possibilidades.

O consumidor deve refletir também que apesar das taxas bancárias serem menores, o prazo para o pagamento delas será maior, o que mostra que o seu tempo pagando os juros será maior. Portanto, a cautela é indispensável na hora de eleger a forma de pagamento, pois se o consumidor não paga depois o preço integral, poderá se endividar enormemente.

Muitos indivíduos em situação de desespero por quitarem suas dívidas o mais rápido possível terminam caindo em propagandas enganosas. Maria Inês Dolci, advogada e coordenadora institucional da Associação Brasileira de Defesa do Consumidor, defende que todo o cuidado deverá ser tomado na hora de qualquer empréstimo, para que dívidas mais extensas não sejam contraídas.

De acordo com Ione Amorim, economista do IDEC (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor), o cidadão que usa o sistema de crediário estará exposto à possibilidade de ter que pagar juros sobre juros, caso as parcelas não sejam saldadas até a sua data de vencimento. Isto irá gerar uma dívida maior do que a anterior, pois o preço que não, pois o valor que não foi pago será novamente dividido com outra taxa de juros.

Veja Também