Campo Grande •22 de Maio de 2017  • Ano 5
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Corrida de Outono patrocinadores

Da redação | Segunda, 2 de Janeiro de 2017 - 12h19Multa da repatriação injeta mais de 66 milhões na conta das prefeituras de MSDinheiro foi transferido no último dia 30 pelo Tesouro Nacional

(Foto: Divulgação)

Transferido no penúltimo dia de 2016, a multa referente à repatriação do dinheiro do exterior injetou mais de R$ 66 milhões na conta das prefeituras de Mato Grosso do Sul. No total, o repasse no apagar das luzes do ano passado do governo do presidente Michel Temer (PMDB-SP) totalizou 66.058.930,80 para divisão entre as 79 prefeituras do Estado, já descontados do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

De acordo com o presidente da Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul (Assomasul), Juvenal Neto, a transferência só foi possível depois de muita pressão do movimento municipalista em Brasília. Juvenal, que integra o Conselho Político da Confederação Nacional de Municípios (CNM), cumpre seu último mês de mandato à frente da entidade, que fará eleição para a escolha dos novos membros da diretória no próximo dia 16.

Ele lembra que a ideia inicial do governo federal era atender apenas os governadores com o dinheiro da multa da repatriação. Porém, após intensa mobilização da CNM, o presidente Temer recuou e resolveu repassar a cota a que os municípios têm direito nos valores arrecadados pela União.

Na prática, o governo federal recuou no dia 20 de dezembro e decidiu antecipar o repasse aos municípios do montante referente a uma parte da arrecadação da União com a multa do programa de repatriação.  Inicialmente, o governo havia publicado uma medida provisória, no dia anterior, no Diário Oficial da União, prevendo o repasse somente em janeiro de 2017, mas diante da reclamação de prefeitos, publicou uma edição extraordinária antecipando a data do pagamento para 30 de dezembro.

O prazo para adesão ao programa de regularização de bens e ativos no exterior não declarados à Receita Federal terminou em 31 de outubro. Para ficar em dia com o Fisco, o contribuinte teve de pagar 15% de imposto de renda e 15% de multa.

Uma parte do valor arrecadado pela União, então, deveria ser dividida com estados e municípios. Segundo a Receita, ao todo, o governo federal arrecadou R$ 46,8 bilhões.

 A transferência, portanto, ajudou a maioria dos prefeitos no fechamento das contas municipais. Antes do recuou do governo, muitos prefeitos tiveram de entrar na Justiça para obter os recursos a que os municípios têm direito.

Em Mato Grosso do Sul, por exemplo, pelo menos 14 prefeitos acionaram a Justiça como forma de garantir os recursos em favor dos municípios. Os municípios que tomaram a decisão em novembro do ano passado foram Amambai, Japorã, Iguatemi, Guia Lopes da Laguna, Deodápolis, Miranda, Rio Negro, Corguinho, Paranhos, Porto Murtinho, Tacuru, Taquarussu, Jateí e Rio Verde de Mato Grosso.

As ações, no entanto, foram retiradas diante da decisão do governo de  atender o apelo dos prefeitos.

NOVA FASE

Para 2017, novos recursos arrecadados por meio do regime de repatriação estão previstos. No entanto, o dirigente garante que essa aflição não deve ser repetida, pois o texto em tramitação no Congresso Nacional já prevê partilha com estados e municípios.

A nova fase deve arrecadar R$ 30 bilhões, segundo estimativa do governo, e desse montante R$ 11 bilhões devem ser repassados aos 5.570 municípios brasileiros.

Veja Também
Segunda, 22 de Maio de 2017 - 11h38Fiems defende continuidade das reformas Entidade que representa o setor da indústria pede calma diante a crise para que não hajam retrocessos
Temer reúne ministros e base aliada e pede que Congresso trabalhe normalmente
Sexta, 19 de Maio de 2017 - 11h25Dólar abre em queda e bolsa de valores em alta Índice registrou alta de 1,53%, a 62.614 pontos
Acadêmicos da UCDB auxiliam microempreendedores a fazer declaração
Brasil tem 26,5 milhões de pessoas sem trabalho adequado
MS e PR se unem para ampliar ferrovia
Postos são autuados por cobrarem preço diferente no cartão
Embrapa desenvolve alimentos de pescado pantaneiro
Sicredi divulga normas para crédito rotativo
Terça, 16 de Maio de 2017 - 09h59Inflação pelo IGP-10 volta a fechar com deflação e acumula –0,81% no ano Resultado é reflexo do comportamento dos preços do grupo de Matérias-Primas Brutas
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothNews
DothShop
Rec banner - cirurgia.net
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento