Campo Grande •17 de Janeiro de 2017  • Ano 5
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto

Da Agência Brasil | Segunda, 26 de Setembro de 2016 - 08h58Mercado reduz de 7,34% para 7,25% projeção de inflação para este anoNúmeros saem no Boletim Focus, divulgado às segundas-feiras

Pesquisa do Banco Central constatou que mercado reduziu para 7,25% projeção de inflação para este ano
Pesquisa do Banco Central constatou que mercado reduziu para 7,25% projeção de inflação para este ano (Foto: EBC)

Instituições financeiras consultadas pelo Banco Central (BC) reduziram a projeção de inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), neste ano, de 7,34% para 7,25%. Essa foi a segunda redução seguida, na pesquisa feita pelo BC junto ao mercado financeiro todas as semanas. Para 2017, a projeção também caiu: de 5,12% para 5%. Os números saem no Boletim Focus, divulgado às segundas-feiras.

As estimativas estão acima da meta de inflação de 4,5% neste ano e em 2017. O cálculo para este ano ultrapassa também o teto da meta que tem que ser perseguida pelo BC que é 6,5%. Para o próximo ano, o teto da meta é 6%.

Controle inflacionário

O principal instrumento usado pelo BC para controlar a inflação é a taxa básica de juros, usada nas negociações de títulos públicos no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic). Quando o Copom aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso gera reflexos nos preços, porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Quando o Copom reduz os juros básicos, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, mas a medida alivia o controle sobre a inflação. Quando mantém a taxa, o Copom considera que ajustes anteriores foram suficientes para alcançar o objetivo de controlar a inflação.

Desde julho de 2015, os juros básicos estão em 14,25% ao ano, no maior nível desde outubro de 2006. As instituições financeiras mantiveram a projeção para a Selic em 13,75%, ao final deste ano, e em 11%, no fim de 2017.

A projeção de queda do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, este ano, passou de 3,15% para 3,14%, este ano. Para 2017, a expectativa de crescimento foi ajustada de 1,36% para 1,30%.

Veja Também
Segunda, 16 de Janeiro de 2017 - 09h18Mercado projeta 9,75% ao ano para Selic em 2017 Atualmente, a taxa está em 13% ao ano
Segunda, 16 de Janeiro de 2017 - 08h25Cartilha vai orientar empregadores e empregados do setor produtivo Criação da cartilha foi decidida após um pedido do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços
Comércio teve aumento de vendas em dezembro
Sexta, 13 de Janeiro de 2017 - 17h59Valor das parcelas do seguro desemprego tem aumentou de R$ 101,48 em 2017 Reajuste tem como base a variação do INPC de 2016
Inflação entre idosos fecha 2016 em 6,07%, abaixo da média global do país
Após corte na taxa básica, bancos começam a reduzir juros para os clientes
Procon realiza pesquisa de material escolar em Três Lagoas
Recursos dos juros da dívida serão usados nos compromissos do governo
Serviços crescem, mas acumulado até novembro tem queda de 5%
Banco Central reduz Selic para 13% ao ano e surpreende o mercado
square noticias uci
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothNews
DothShop
Rec banner - cirurgia.net
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento