Campo Grande •23 de Setembro de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full banner Governo -  MS Desenvolve

Da Agêcia Brasil | Segunda, 4 de Setembro de 2017 - 10h15Mercado financeiro eleva projeção do crescimento da economia para 0,5% este anoNa comparação com o segundo trimestre de 2016, a variação do PIB foi de 0,3%

Mercado financeiro reduziu de 3,45% para 3,38% estimativa da inflação para este ano
Mercado financeiro reduziu de 3,45% para 3,38% estimativa da inflação para este ano (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

O mercado financeiro reduziu a projeção para a inflação e aumentou a estimativa para o crescimento da economia este ano. De acordo cm o boletim Focus, uma publicação divulgada hoje (4) no site do Banco Central (BC), a expectativa para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB, a soma de todos os bens e serviços produzidos no país), foi ajustada de 0,39% para 0,5% este ano e mantida em 2% para 2018.

Na última sexta-feira (1º), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou o PIB o segundo trimestre do ano com alta de 0,2% na comparação com primeiro trimestre, na série ajustada sazonalmente. Na comparação com o segundo trimestre de 2016, a variação do PIB foi de 0,3%.

Inflação

A estimativa do mercado financeiro para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) caiu de 3,45% para 3,38% este ano. Para 2018, a projeção do IPCA foi reduzida de 4,20% para 4,18%.

As estimativas para os dois anos permanecem abaixo do centro da meta de 4,50%, que deve ser perseguida pelo BC. Essa meta tem ainda um intervalo de tolerância entre 3% e 6%.

Para alcançar a meta, o BC usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 9,25% ao ano. A próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), responsável por definir a Selic, está marcada para amanhã (5) e quarta-feira (6). A expectativas das instituições financeiras é que a Selic seja reduzida nesta reunião em 1 ponto percentual para 8,25% ao ano.

Quando o Copom diminui os juros básicos, a tendência é que o crédito fique mais barato com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle sobre a inflação. Já quando o Copom aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso gera reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Já

A expectativa do mercado financeiro para a Selic ao final de 2017 foi mantida em 7,25% ao ano. Para o fim de 2018, permanece em 7,50% ao ano.

Veja Também
Pesquisa estuda produção de energia alternativa em MS
CDL divulga nota de repúdio à Lei da Inadimplência
Quinta, 21 de Setembro de 2017 - 12h04Servidores vestidos de preto fazem protesto no Banco Central Funcionários querem apoio do BC para a aprovação da emenda 51
Expectativa de inflação dos brasileiros sobe para 6,7%, diz FGV
Supermercado troca desconto nas compras por bônus no celular
Em 2018, 41 municípios do Estado terão ICMS menor
Mercado reduz projeção de inflação
Segunda, 18 de Setembro de 2017 - 09h55PIB cresceu 0,6% no trimestre encerrado em julho, mostra FGV PIB acumulado em 2017 até o mês de julho, em valores correntes, alcançou o valor aproximado de R$ 3,78 trilhões
Domingo, 17 de Setembro de 2017 - 17h44Produtores rurais poderão renegociar dívida Com a renegociação produtores poderão conseguir novos créditos
Evento orienta empreendedores da Capital sobre créditos
Square Noticias UCDB
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothNews
Rec banner - Patio central
DothShop
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento