Menu
4 de abril de 2020 • Ano 9
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Economia

MEI: quais tipos de notas fiscais é possível emitir?

Entenda as diferenças entre NFA, NFe e NFC-e e saiba como emitir cada uma delas

10 Out2019Da redação16h39

O Microempreendedor Individual (MEI) é aquele que trabalha por conta própria e se legaliza como tal. Existem diversas obrigações a serem cumpridas para estar em conformidade com a legislação brasileira, e uma delas é a emissão de nota fiscal. Ela deve acontecer quando há venda de produtos ou prestação de serviços para pessoa jurídica (empresas). Quando a transação ocorrer para pessoa física, não há a necessidade da emissão do documento -- nem mesmo fora do estado. No primeiro caso, o MEI pode optar por alguns modelos de notas fiscais.

A NFA (Nota Fiscal Avulsa) é a mais simples e econômica. Neste caso, é necessário solicitar o documento à Secretaria da Fazenda (SEFAZ) e recebê-lo impresso. O procedimento varia de estado para estado, de modo que é necessário verificar como solicitar a emissão na sua região. Algumas unidades da federação não emitem mais esse tipo de nota, por causa da necessidade de utilizar papel.

No caso da NFA, também existe outra subcategoria: a nota fiscal avulsa eletrônica (NFA-e). Esse tipo de nota é emitido com muita facilidade por meio da internet, mas também não está disponível em todos os estados. Neste caso, a versão original continua sendo a impressa, diferentemente de outras modalidades eletrônicas de emissão. Cada NFA-e pode ter, no máximo, 10 itens diferentes discriminados. Portanto, caso haja muitos produtos ou serviços ofertados, o microempreendedor terá que emitir mais de uma nota.

A NFe é a Nota Fiscal Eletrônica e é obrigatória para todas as empresas, exceto para os microempreendedores, que podem escolher se pretendem ou não emitir esse tipo de nota. O processo acontece por meio da internet, por meio de um sistema disponibilizado pela própria prefeitura e pode ser muito prático para quem não tem a necessidade de imprimir o documento em papel. Para validar o documento, o empreendedor precisa se valer de um certificado digital fornecido pelo município para garantir a autenticidade. O procedimento para obter a autorização varia de estado para estado.

A NFC-e é, por sua vez, nota fiscal de vendas ao consumidor eletrônica para quem trabalha no varejo com a venda de produtos, por exemplo. Ela substitui a nota fiscal de venda ao consumidor, modelo 2, e o cupom fiscal. Para emiti-la, basta ter autorização da Secretaria da Fazenda e de um emissor online.

Por fim, é importante fazer uma distinção entre os tipos de notas fiscais, para saber quem é responsável por cada uma. A nota de venda de produtos é de competência estadual, enquanto a nota para prestação de serviços é de responsabilidade municipal -- exceto a de prestação de serviços em transporte intermunicipal ou interestadual de cargas ou pessoas, de competência estadual. Essa informação é importante para saber qual órgão você precisa procurar para obter a autorização de emissão de nota.

Veja Também

Santander anuncia prorrogação automática de parcelas de crédito
Governo publica MP que repassa R$ 16 bilhões a estados e municípios
Conheça as tecnologias que mais facilitam a vida dos empresários
Receita adia para junho pagamento da primeira cota do Imposto de Renda
Produção industrial de MS fica estável em fevereiro
Governo reduz pela metade contribuições pagas ao Sistema S por 3 meses
Governo anuncia R$ 200 bilhões para socorrer trabalhadores e empresas
Queda nos preços dos combustíveis na Capital
Preço do gás de cozinha tem redução de 10%
Caixa começa a pagar nesta quarta o saque-aniversário do FGTS