Campo Grande •11 de Dezembro de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full Banner SEGOV - Governo Presente 3 DETRAN/DESAFINADOS

Da redação | Sexta, 14 de Outubro de 2016 - 10h40Inflação na Capital cai pela quarta vezÍndice de Preços ao Consumidor de agosto fechou em 0,26%

Preços estão queda nos últimos meses na Capital
Preços estão queda nos últimos meses na Capital (Foto: Arquivo Diário Digital)

Em setembro, a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande (IPC/CG) fechou em 0,26%, uma queda de 0,04% em relação ao mês anterior, que apresentou inflação de 0,30%. O indicador também ficou abaixo do registrado em setembro de 2015, quando chegou a 0,57%, segundo o Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais (Nepes) da Uniderp.  Esta foi a quarta queda consecutiva em 2016 e resultou no menor índice do ano, até o momento.

De acordo com o coordenador do Núcleo, Celso Correia de Souza, os principais responsáveis pela inflação do mês passado foram “os grupos Transportes, com índice de 1,37% e contribuição de 0,20%, e Habitação, com aumento de 0,44% e colaboração de 0,14%. Já o grupo Alimentação contribuiu para segurar a inflação, pois registrou deflação de -0,31% e contribuição de -0,06% para o índice geral”. 

Acumulado

A inflação acumulada nos últimos doze meses caiu de 9,33% (até agosto) para 8,99%, mas ainda está acima do teto de 6,5% e do centro de 4,5% das metas estabelecidas pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).  No acumulado de 2016, a inflação já atinge 5,84%, ultrapassando o centro da meta do CMN. Registraram os maiores índices no período: Educação (11,13%), Alimentação (7,64%), Despesas Pessoais (7,54%) e Saúde (6,95%).

Para pesquisador da Uniderp, esse resultado sinaliza que “mesmo com redução, a inflação acumulada de 2016 não deve atingir o teto da meta, como é esperado pelo governo, pois a queda está muito lenta”, explica Celso. Nos últimos 12 meses os maiores índices acumulados por grupo foram: grupo Alimentação (15,23%), Educação (12,77%), Transportes (9,83%) e Despesas Pessoais (9,16%). “Percebe-se, que a inflação tem impactado com mais força as classes de menor poder aquisitivo, que priorizam a alimentação nesse período de dificuldade”, complementa o professor.

Veja Também
Transporte e habitação fazem inflação subir na Capital
Sexta, 8 de Dezembro de 2017 - 12h28Receita abre consulta ao sétimo desde lote de restituição do IRPF de 2017 Imposto contempla 30.300 contribuintes de Mato Grosso do Sul
Arrecadação do Refis de MS chega a 70 milhões
Receita abre consulta ao último lote de restituição do Imposto de Renda 2017
Empregadores têm até hoje para fornecer informações ao Caged
Prazo para adesão ao Refis de MS encerra em 10 dias
Tarifa de água ficará mais cara em 6 de janeiro
Quarta, 6 de Dezembro de 2017 - 11h22Inflação desacelera em novembro e é menor para famílias com renda mais baixa FGV constatou ainda que a inflação medida pelo IPC-C1 fechou o mês de novembro abaixo da taxa relativa ao IPC-Br
Lojas da Capital já podem funcionar até mais tarde
Problema bancário atrasa pagamento de 650 servidores na Capital
Square banner notícias UCI
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothShop
Rec banner - Patio central
DothNews
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento