Campo Grande •23 de Outubro de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full Banner FM Cidade

Da Agência Brasil | Terça, 7 de Fevereiro de 2017 - 10h29Inflação medida pelo IGP-DI cai em janeiro e acumula 6,02% em 12 mesesDesaceleração de dezembro para janeiro foi determinada pela variação dos preços ao produtor

A inflação, medida pelo Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI), fechou o mês de janeiro com variação de 0,43%, mostrando uma desaceleração de preços que chegou a 0,4 ponto percentual em relação a dezembro último, quando foi de 0,83%. Com o resultado, o IGP-DI acumulado nos últimos doze meses é de 6,02%.

O índice foi divulgado hoje (7), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV) e se refere aos preços coletados entre os dias 1º e 31 de janeiro. Em janeiro de 2016, o IGP-DI havia variado 1,53%.

A desaceleração do índice de dezembro para janeiro foi determinada pela variação dos preços ao produtor, uma vez que tanto os preços ao consumidor quanto os relativos à construção civil fecharam o mês em alta.

Segundo dados divulgados pela FGV, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) encerrou janeiro com variação de 0,34%, uma retração de 0,76 ponto percentual em relação a 1,1% da variação de dezembro do ano passado.

A retração dos preços ao produtor reflete a queda em dois dos três índices componentes do IPA. O item Bens Finais teve seus preços reduzidos de uma alta de 0,24% para um deflação (inflação negativa) em janeiro: 0,61%; enquanto o preços do grupo Matérias-Primas Brutas teve queda de 1,4 ponto percentual entre dezembro e janeiro (de 2,08% para 0,24%).

Já os preços do grupo Bens Intermediários subiram de 1,11% para 1,47% entre dezembro e janeiro – alta de 0,36 ponto percentual.

Preços ao Consumidor - O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) acusou variação de 0,69% em janeiro, ante 0,33% de dezembro, portanto, uma alta de 0,36 ponto percentual entre um período e outro. Neste caso, contribuíram para a alta os preços de quatro das oito classes de despesa componentes do índice.

A contribuição de maior magnitude para o avanço do IPC partiu do grupo Educação, Leitura e Recreação, que passou de 0,95% para 4,15%. Nesta classe de despesa, destaca-se o comportamento do item cursos formais, cuja taxa passou de 0,00% para 9,80%.

Em contrapartida, os grupos Saúde e Cuidados Pessoais (0,71% para 0,35%), Vestuário (0,73% para -0,27%), Despesas Diversas (1,50% para 0,39%) e Alimentação (0,44% para 0,39%) apresentaram decréscimo em suas taxas de variação.

Veja Também
Quatro empresas têm interesse em comprar UFN-3
Tarifa de energia deve ficar no patamar 2, se escassez de chuva continuar
Governo divulga valor da Uferms para os meses de novembro e dezembro
BC lança campanha para uso consciente do cartão de crédito
Deputados pedirão liminar para JBS retomar abates
Um terço das lavouras estão semeadas
Grupo quer instalar fábrica de carros elétricos na Capital
Atividade econômica tem queda de 0,38% em agosto, após dois meses de crescimento
JBS paralisa compra e abate de bovinos no Estado
Refis: obrigações acessórias de ICMS podem ser parceladas
Square banner notícias UCI
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
Rec banner - Patio central
DothShop
DothNews
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento