Campo Grande •23 de Outubro de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full banner Rota das Estações - Primavera

Laureano Secundo | Quinta, 20 de Julho de 2017 - 10h12Arrecadação esperada é de R$ 10 bilhõesReforço de caixa virá com o aumento do Pis/Cofins e outras receitas extraordinárias

Ministro Henrique Meireles não descarta novos reajustes
Ministro Henrique Meireles não descarta novos reajustes (Foto: Arquivo Diário Digital)

O governo federal vai anunciar nesta quinta-feira (20) um aumento de impostos sobre os combustíveis para ajudar a aumentar a arrecadação federal e tentar cumprir a meta fiscal para 2017, fixada em um déficit (despesas maiores que receitas) de R$ 139 bilhões.

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse nesta quarta-feira (19) que poderá aumentar a alíquota do Pis/Cofins sobre a gasolina. Segundo ele, optou-se por esse aumento porque ele é “rápido e fácil de ser cobrado”. A intenção é que ele comece a valer já este ano e prossiga também em 2018.

O governo também estuda a hipótese de elevar o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) sobre algumas transações financeiras. Já a Cide, que também incide sobre os combustíveis, tem um efeito mais lento em termos de arrecadação e nem todo o dinheiro é destinado ao governo federal, afirmou Meirelles a Miriam Leitão.

O governo esperava arrecadar recursos com receitas extraordinárias como a segunda fase da repatriação de recursos no exterior (que permite regularizar bens não declarados ao Fisco) e com o programa de refinanciamento de dívidas tributárias, o Refis, mas o resultado ficou muito aquém do esperado.

A Receita Federal informou que supera os R$ 800 milhões a previsão de arrecadação potencial com a segunda fase da repatriação. O prazo para adesão ao programa termina em 31 de junho. A arrecadação de cerca de R$ 800 milhões é potencial porque parte dos contribuintes que já enviaram declaração ainda não fizeram o pagamento da multa e do IR.

A elevação dos impostos vem justamente após o anúncio da Receita Federal, que fechou o primeiro semestre com a maior arrecadação de impostos dos últimos dois anos. No entanto, quando se olha a arrecadação de impostos ano a ano, no primeiro semestre, vê-se uma queda forte a partir de 2014.

Veja Também
Segunda, 23 de Outubro de 2017 - 12h35Cerca 100 mil empresas serão impedidas de transmitir declaração do Simples Próprio PGDAS-D apontará as declarações a serem retificadas
Governo lança nova Política de incentivo as empresas
Quatro empresas têm interesse em comprar UFN-3
Tarifa de energia deve ficar no patamar 2, se escassez de chuva continuar
Governo divulga valor da Uferms para os meses de novembro e dezembro
BC lança campanha para uso consciente do cartão de crédito
Deputados pedirão liminar para JBS retomar abates
Um terço das lavouras estão semeadas
Grupo quer instalar fábrica de carros elétricos na Capital
Atividade econômica tem queda de 0,38% em agosto, após dois meses de crescimento
Square banner notícias UCI
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothShop
DothNews
Rec banner - Patio central
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento