Campo Grande •19 de Janeiro de 2017  • Ano 5
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto

Da redação | Terça, 18 de Outubro de 2016 - 13h39Fiems faz rodada de negócios de empresários de MS com chilenos e paraguaiosEmpresários estrangeiros estão interessados em alimentos e bebidas típicas brasileiras

(Foto: Divulgação/Fiems)

Empresários do Paraguai e Chile interessados em comprar produtos industrializados de Mato Grosso do Sul reuniram-se, nesta terça-feira, dia 18 de outubro, no Edifício Casa da Indústria, em Campo Grande (MS), com 12 representantes de empresas do Estado para o Encontro de Negócios Itinerante no Brasil – Setor Alimentos e Bebidas, promovido pelo Centro Internacional de Negócios (CIN) da Fiems. Durante todo o dia, os empresários sul-mato-grossenses têm a oportunidade de fechar negócios e ampliar o mercado para o Chile e Paraguai.

Em reuniões pré-agendas, cada empresário tem 25 minutos para apresentar os produtos a representantes da Tottus, rede supermercadista do Chile, à Vascol, distribuidora de alimentos do Paraguai, e da Watt’s, empresa também chilena. Os empresários estrangeiros estão interessados em alimentos e bebidas típicas brasileiras, tidas como exóticas e que possuem diferencial e agradem ao público destes países.
 
E, em relação aos demais Estados brasileiros, Mato Grosso do Sul tem a vantagem de estar estrategicamente posicionado na América do Sul, o que barateia os custos de transporte e logística, conforme o representante da Vascol, Luis Fernando Vasconcellos Sanchez. “A vantagem do Estado é a proximidade com o Paraguai e, consequentemente, a questão do frete. Nossa empresa trabalha com representação, comercialização e distribuição de bebidas e enlatados e, no Brasil, procuramos algo que possam agregar à nossa cartela de produtos”, disse Sanchez, acrescentando que a Vascol já importa itens do Paraná, como café e laticínios, e vê em Mato Grosso do Sul um mercado promissor.
 
Para a representante da Tottus, Maria de los Angeles Torrealba Fonck, os chilenos apreciam produtos de origem brasileira. A aposta dele é nos alimentos e bebidas fit, sem glútem e sem açúcar. “Importamos muita coisa do Estados Unidos e países da Europa, mas acreditamos que o Chile aprecia muito os produtos brasileiros, água de côco, comidas típicas”, afirmou. Da Watt’s, Rodrigo Javier Alvarado Zuniga, participou do Encontro de Negócios que fabrica uma série de itens do gênero alimentício, com foco nas geleias. O empresário busca em Mato Grosso do Sul fornecedores que possam apresentar novos sabores. “O maracujá, por exemplo, o chileno não conhecia e simplesmente ficou doido quando experimentou”, disse.
 
E é justamente com objetivo de vender estes tipos de produtos que o consultor de vendas da Mix Nutri, Diego Monteiro, foi um dos participantes do Encontro de Negócios. “Podemos não fechar negócios hoje, mas vamos levar nossa marca para o exterior. Já exportamos para a Bolívia e agora a ideia é atingir países mais próximos, da América do Sul”, contou ele sobre a empresa, que desde de 2009 produz no Estado 140 itens entre alimentação funcional e nutrição esportiva.
 
O mesmo foco tem o representante da Alimentos Yama, Mauricio Hideo Yamakawa, que há quatro anos produz derivados da mandioca, todos sem glútem. “Exportamos esporadicamente para outros países, mas queremos transformar isso em algo fixo. E nenhum deles foi na América do Sul, até o momento, e nosso foco é o Mercosul”, afirmou.
 
A analista de comércio exterior do CIN da Fiems, Flavia Bertoni Mazzaro, conta que a Federação já promove ações de estímulo a internacionalização dos negócios, como estudos de mercado, inserção de produtos no mercado externo, análise de potenciais compradores, entre outras, e o Encontro de Negócios vem para somar. “Há algum tempo procuramos fazer esse tipo de evento, e essa pareceria vem com a CNI e com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) contribui muito com isso”, avaliou.

 

Veja Também
Quinta, 19 de Janeiro de 2017 - 11h57Prévia da inflação oficial é a mais baixa para meses de janeiro desde 1994 É a taxa mais baixa para meses de janeiro desde 1994, quando foi criado o Plano Real
Quinta, 19 de Janeiro de 2017 - 10h27Preços ao produtor e ao consumidor pressionam inflação do aluguel, diz FGV Em igual período do mês anterior, a 2ª prévia de dezembro, a alta foi 0,41%
Financiamento de carros teve queda de 10,6%
Feira da Indústria de Calçados de MS
Relatório da ONU indica modesta recuperação da economia mundial em 2017
Segunda, 16 de Janeiro de 2017 - 09h18Mercado projeta 9,75% ao ano para Selic em 2017 Atualmente, a taxa está em 13% ao ano
Segunda, 16 de Janeiro de 2017 - 08h25Cartilha vai orientar empregadores e empregados do setor produtivo Criação da cartilha foi decidida após um pedido do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços
Comércio teve aumento de vendas em dezembro
Sexta, 13 de Janeiro de 2017 - 17h59Valor das parcelas do seguro desemprego tem aumentou de R$ 101,48 em 2017 Reajuste tem como base a variação do INPC de 2016
Inflação entre idosos fecha 2016 em 6,07%, abaixo da média global do país
square noticias uci
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothShop
DothNews
Rec banner - cirurgia.net
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento