Campo Grande •24 de Setembro de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full banner Governo -  MS Desenvolve

Da redação | Terça, 1 de Novembro de 2016 - 12h48Equilíbrio das contas do Estado mantém economia aquecidaEmpresários destacam a regularidade no pagamento do funcionalismo público como importante estímulo ao comércio

(Foto: Divulgação)

Dirigentes das entidades representativas do setor lojista e serviços avaliam que um fator importante para a economia é o fluxo de recursos do Governo do Estado destinados aos investimentos em obras, no entanto, o suporte fundamental é a injeção financeira dos salários dos servidores. A regularidade do pagamento da folha contribui muito, daí a expectativa em relação ao mês de dezembro e início de janeiro, quando o Estado paga os salários de novembro (01/12), o 13º salário (até o dia 20/12) e os salários de dezembro (início de janeiro de 2017).  A injeção financeira será de R$ 1 bilhão.

Na avaliação do presidente da Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG), João Carlos Polidoro, a contribuição dos servidores públicos no fim do ano será expressiva. Polidoro diz ainda que essa injeção de dinheiro na economia local deixa o comércio animado e otimista, pois impulsiona diversos segmentos.

“Os servidores são um público consumidor importante e representam uma contribuição expressiva na movimentação do comércio. Com o pagamento dos salários em dia, eles terão mais tranquilidade para quitar sua contas e conforto para escolher os presentes de natal. Os empresários poderão fazer investimentos importantes e tenho certeza que os colaboradores do comércio estão de braços abertos para recebê-los. Valorizamos essa atitude do governo do Estado”, reforçou Polidoro.

O presidente da Câmara de Dirigentes Logistas, Hermas Rodrigues, o cumprimento desse importante compromisso é uma forma de o governo gerar riquezas. Hermas destacou ainda a boa gestão de Reinaldo, que vem mantendo as contas equilibradas, mesmo em um cenário em que a economia nacional encontra-se fragilizada.

“Quando existe uma boa gestão, o governo produz riqueza, fazendo a roda da economia girar. A gestão do governador Reinaldo Azambuja está comprometida com os gastos públicos. O pagamento em dia é bom para os funcionários e para o comerciante. O setor vislumbra uma reação da economia melhor este ano. Apesar de estar muito aquém, a melhora é positiva e muito mais significativa do que no ano passado. Estamos com uma campanha de Natal que conta com apoio do Governo. Além disso, em 2017 já teremos o aumento do teto do super simples. São medidas que dão um novo ânimo para o empresariado e aumentam o índice de confiança”, avaliou.

Conforme o presidente do Sistema Fecomércio-MS, Edison Araújo, a instituição prevê que para cada 10% da população de Mato Grosso do Sul que resolva gastar R$ 200, entre comemorações e presentes para o Natal, haverá uma movimentação na economia de aproximadamente R$ 53 milhões.

“As perspectivas estão favoráveis: a intenção de consumo das famílias tem aumentado nos últimos dois meses. Também o índice de confiança do empresário tem crescido ao longo do ano e, com ele, as expectativas de investimento em mão-de-obra. A previsão é gerar aproximadamente 5 mil empregos temporários para o final do ano. Cabe ressaltar que há expectativas de que a partir do 13º salário muitas dívidas possam ser pagas, com os empresários aproveitando a oportunidade para propor renegociações e até mesmo aproveitar o pagamento para compras do fim de ano à vista”, ressaltou.

Em Mato Grosso do Sul, apesar da recessão que atinge o Brasil, a equipe econômica do governador Reinaldo Azambuja garantiu o pagamento do 13° salário. Com isso, em um intervalo de 40 dias, somente o Governo do Estado vai injetar na economia cerca de R$ 1,2 bilhão.

Pesquisa divulgada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) aponta que somado ao servidores do governo do Estado, o décimo terceiro salário de todos os sul-mato-grossenses poderá movimentar R$ 2,35 bilhões, o que representa um incremento de 18,8% em relação a 2015 (R$ 372,272 milhões a mais). Em todo o país, o departamento indica R$ 197 bilhões na economia como pagamento do 13º. Serão cerca de 84 milhões de brasileiros beneficiados com um rendimento adicional, em média, de R$ 2.192.

Para o cálculo, o Dieese leva em conta dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) e do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), ambos do Ministério do Trabalho. Também foram consideradas informações da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e informações da Previdência Social e da Secretaria Nacional do Tesouro (STN).

Veja Também
Nova lei aumenta juros para empréstimos a longo prazo pelo BNDES
Pesquisa estuda produção de energia alternativa em MS
CDL divulga nota de repúdio à Lei da Inadimplência
Quinta, 21 de Setembro de 2017 - 12h04Servidores vestidos de preto fazem protesto no Banco Central Funcionários querem apoio do BC para a aprovação da emenda 51
Expectativa de inflação dos brasileiros sobe para 6,7%, diz FGV
Supermercado troca desconto nas compras por bônus no celular
Em 2018, 41 municípios do Estado terão ICMS menor
Mercado reduz projeção de inflação
Segunda, 18 de Setembro de 2017 - 09h55PIB cresceu 0,6% no trimestre encerrado em julho, mostra FGV PIB acumulado em 2017 até o mês de julho, em valores correntes, alcançou o valor aproximado de R$ 3,78 trilhões
Domingo, 17 de Setembro de 2017 - 17h44Produtores rurais poderão renegociar dívida Com a renegociação produtores poderão conseguir novos créditos
Square Noticias UCDB
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
Rec banner - Patio central
DothNews
DothShop
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento