Menu
19 de julho de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Mega banner  Ministério  da Saúde - HEPATITE VACINAÇÃO E TESTE
Variação de consumo esclarecida?

Energisa reitera calor como justificativa

Empresa aguarda visita da Aneel e garante que não nenhum erro em medições

13 Fev2019Luany Mônaco - Especial para o Diário Digital19h10
Presidente da Energisa, Marcelo Vinhaes (Foto: Marco Miatelo)
  • Esclarecimento de Marcelo Vinhaes sobre variação de consumo não agradou parlamentares
  • Presidente da Energisa, Marcelo Vinhaes (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)

Pela primeira vez presente em reunião relacionada ao recente aumento nos valores das faturas de energia em Mato Grosso do Sul, o presidente da Energisa, Marcelo Vinhaes, reafirmou a justificativa de que o acréscimo exorbitante no valor final do consumo mensal foi causado pela onda de calor mais intensa sentida nos últimos 100 anos. A empresa, que é responsável pela distribuição de energia na maior parte do Estado, garante que nenhum erro de medição foi identificado e que aguarda fiscalização da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Por intermédio do Deputado Estadual Pedro Kemp o encontro realizado na tarde desta quarta-feira (13) aconteceu no Plenarinho, localizado na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul. Vereadores da cidade de Dourados e outros representantes políticos estiveram presentes no debate, e assim como a população, indagaram diretamente ao presidente do grupo em MS sobre a aplicação do aumento mesmo com a permanência de rotina de consumo e até a quase ausência de uso de energia elétrica em época de férias em várias unidades consumidoras.

De acordo com a explicação dada por Marcelo Vinhaes tudo é culpa do intenso calor. Como explica o presidente, os compressores de refrigeração não desligam quando a temperatura externa é muito elevada para que possa manter a refrigeração interna do eletrodoméstico, por isso a elevação do consumo. Ainda de acordo com Marcelo este é um problema cíclico e que não é a primeira vez que ele comparece a Assembleia para esclarecer a mesma situação.

Como o valor final de consumo é baseado em uma tarifa que sofre alterações mensalmente, o Imposto Sobre Circulação de Mercadoria e Serviços (ICMS) também foi apontado como um dos principais responsáveis pela grande alteração no valor das faturas.  

O superintendente da Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon), Marcelo Salomão, também participou da reunião e declarou que, dentro de um total a nível Estadual, a Energisa coleciona 54% das reclamações e que 80% delas são para reivindicar cobranças abusivas. “Este é um número preocupante, humanamente não é possível que tanta gente esteja mentindo. O Procon não tem a expertise de fazer uma análise técnica desse porte, por isso pede o apoio da Aneel caso haja irregularidade” disse Salomão.

O vereador Marçal Filho, que presidiu a reunião, pediu da Energisa justificativas mais detalhadas e alegou que a comissão não ficou satisfeita com o esclarecimento, o parlamentar solicitou que questões fossem discutidas mais detalhada e abertamente.

Veja Também