Menu
19 de maio de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Economia

Empréstimos: Ter um carro é a melhor forma de conseguir uma boa taxa, porém pode te deixar "a pé"

Um dos requisitos necessários consiste em que o cliente não tenha o “nome sujo”

13 Mar2019Da redação09h00

Empréstimos: Ter um carro é a melhor forma de conseguir uma boa taxa, porém pode te deixar "a pé".

O Brasil é um país que dispõe de uma das maiores taxas de empréstimo do mundo, com juros considerados demasiadamente altos. Por isso, muitos brasileiros elegem dar como garantia algum imóvel/bem próprio como forma de garantia para conseguir um bom empréstimo e com taxas muito mais reduzidas. Além de taxas reduzidas, esta categoria de empréstimo permite que o cliente obtenha prazos mais abrangentes para quitar o valor das parcelas.

A garantia consiste no bem material que o cliente dispõe no momento do contrato do empréstimo. Se a dívida não for paga no prazo estabelecido, ou se o contrato não for cumprido, este bem lhe pode ser vendido. É por esta razão que as taxas de juros serão mais baixas, porque o risco para o banco ou instituição financeira é menor.

Esta modalidade de empréstimo é interessante para as empresas financeiras e bancos, tendo em vista que estimula ao consumidor cumprir com o pagamento de sua dívida para não correr o risco de perder um bem que lhe é precioso. Diferentes tipos de bens podem ser válidos como forma de garantia para um empréstimo, tais como jóias, o salário, um automóvel e um imóvel (casa, apartamento, fazenda, etc.).

O que é o empréstimo que tem como garantia o carro? E quais os requisitos necessários?

Consiste em uma operação de refinanciamento de um auto, cuja a garantia é o próprio carro. É uma alternativa muito mais tentadora do que a de um empréstimo pessoal pelas facilidades que apresenta ao consumidor brasileiro. Facilidades estas como por exemplo, o indivíduo tem acesso ao valor requerido de forma mais rápida (mais ou menos o tempo equivalente a uma semana). Outro exemplo é que a documentação exigida é mais básica que a que se pede geralmente nos casos de um empréstimo pessoal ou de um empréstimo que possui como garantia um imóvel.

Um dos requisitos necessários consiste em que o cliente não tenha o “nome sujo”, ou seja, nenhum problema registrado no seu documento de CPF (Cadastro de Pessoa Física), vale ressaltar que o perfil do indivíduo passará por análise. Outro requisito é que o solicitante do empréstimo deverá estar com o documento do veículo com o seu nome. Também serão avaliadas pelo banco ou instituição financeira as características gerais do auto, serão consideradas a marca, modelo, se está bem conservado ou não, a idade, entre outros. O consumidor tem a possibilidade de efetuar simulações de empréstimos, de forma on-line, antes de tomar uma decisão. Realizar simulações prévias de empréstimos é muito importante e válido, pois assim o cliente pode tirar todas as suas dúvidas, e pode ter uma boa noção de quantos gastos terá que arcar, qual será o valor das taxas de juros em cada parcela, e quais suas opções em diferentes instituições financeiras e bancárias.

Depois de articulada a contratação do empréstimo, o cliente poderá continuar utilizando seu automóvel normalmente no seu dia a dia. O carro até poderá ser vendido, com a condição de que o valor angariado seja encaminhado para o pagamento da dívida.

Como e onde se realiza um empréstimo que porta o automóvel como garantia?

Para realizar o trâmite desta categoria de empréstimo, o cliente deverá primeiramente contatar a instituição financeira ou bancária em questão. Depois lhe será solicitado um conjunto de documentos pessoais e do carro, que deverão ser enviados. Em muitas situações a instituição envia um avaliador até o endereço do indivíduo com o intuito de fazer a vistoria, porém se o cliente desejar que o processo suceda de maneira mais rápida, pode levar seu próprio veículo à vistoria.

Quando todos os documentos e a etapa da vistoria prévia forem aprovados, é liberado o dinheiro do empréstimo, geralmente de dentro de uma semana. As taxas de juros das parcelas podem variar a partir da porcentagem de 1,49% por mês. O período completo para que o cliente termine de pagar o crédito pode variar de um a quatro anos, possuindo a opção de aboná-la antes. Toda essa transação pode ser efetuada de forma on-line, desde o acesso às páginas das respectivas instituições financeiras.

O perigo de perder o auto com este tipo de empréstimo

A despeito dos inúmeros benefícios possíveis de realizar um empréstimo dispondo do seu automóvel como garantia, com o refinanciamento o consumidor adquiri uma dívida e terá que arcar com o pagamento de juros bancários. Desta vez, com a consequência de que caso a dívida não seja abonada, o indivíduo perde o seu carro próprio.

A contratação deste tipo de empréstimo pode ser efetuada através de aplicativos de celular e de páginas da internet. Segundo a economista chefe do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito), Marcela Kawauti, este tipo de contratação on-line tem a tendência de ser mais perigosa, pois considerando a facilidade tecnológica de obter o empréstimo, muitas pessoas o executam sem ter pensado e avaliado suficientemente sobre o crédito que terá que pagar depois. Para a economista, quando o cidadão vai ao banco ou instituição de cunho financeiro é distinto, pois com certeza já analisou de forma suficiente sobre a decisão de fazer o empréstimo com garantia de automóvel.

Outro perigo é negociar um empréstimo com um valor mais alto do que efetivamente se necessita. Neste tipo de empréstimo, o refinanciamento, o crédito pode ser de 90% do preço do carro. Marcela Kawauti defende que muitas pessoas terminam adquirindo um empréstimo maior do que realmente precisam, movidas pela tentação de pagar taxas menores de juros, terminam se expondo e se endividando demasiadamente.

A consultora financeira da empresa Batom no Azul, a catarinense Paula Bazzo, relata que se o consumidor contrata um empréstimo com um valor que representa mais do que ele precisava, este ato será um convite para que consequentemente gaste mais dinheiro. Por isso, a consultora defende que o consumidor deve dispor de um ótimo planejamento antes que decidir realizar um empréstimo, para que não corra o perigo de perder seu veículo e ainda arcar com uma dívida muito maior do que a que tinha no momento inicial, e completamente desnecessária.

Ainda segundo Paula Bazzo, a procura por esta categoria de crédito cresceu devido, substancialmente, ao período que estamos vivendo de crise econômica, que foi pivô gerador de muitas dívidas. A consultora de finanças discursa que as pessoas estão preferindo este tipo de empréstimo com a justificativa de mudar o procedimento de uma dívida custosa para uma muito mais barata, devido à diferença nas taxas de juros bancários.

Portanto, é necessário analisar e pesquisar as suas opções de empréstimos e realizar uma boa reflexão antes de decidir refinanciar o seu veículo, considerando todos os riscos de perdê-lo. Caso decida por colocá-lo como instrumento de garantia do empréstimo, planejar e organizar de maneira substancial a forma de quitar a dívida, no devido tempo acordado no contrato com a instituição bancária.

É importante lembrar também que antes de assinar qualquer contrato de empréstimo deve-se fazer uma ampla pesquisa acerca da instituição ou banco ao qual se irá contratar, assim como efetuar uma cuidadosa leitura do contrato em si, para evitar problemas e estresse desnecessários posteriormente. É conveniente realizar uma análise exaustivamente suas opções e organize seu orçamento mensal.

 

Veja Também