Campo Grande •21 de Janeiro de 2018  • Ano 7
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full banner águas guariroba - campanha dezembro

Laureano Secundo | Sexta, 4 de Agosto de 2017 - 11h36Consórcio quer baratear preço de remédiosRemédios para o atendimento de pacientes oncológicos podem ser os mais beneficiados

Governadores querem comprar conjuntamente os remédios de alto custo
Governadores querem comprar conjuntamente os remédios de alto custo (Foto: Luciano Muta)

Já na próxima semana começará a ser elaborada a lista de medicamentos de alto custo cuja compra poderá ser facilitada com a formação do modelo de compras pelos estados do Brasil Central (MS, MT, GO, TO, RO e MA). Durante entrevista coletiva à imprensa que antecedeu a reunião plenária do Fórum de Governadores do Brasil Central, no Centro de Convenções Arquiteto Rubens Gil de Camillo, em Campo Grande, os governadores informaram que Para conduzir a implantação do modelo de compra, foi criada uma Comissão formada por representantes das áreas de saúde de cada um dos estados.

“Existe um rol de medicamentos de alto custo e pactuamos que será feita Ata de Registro de Preços capitaneada pelo estado de Goiás, e que os estados poderão aderir a essas Atas, diminuindo os custos”, afirmou o governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja.

Os seis estados que formam o Consórcio Brasil Central mais o Distrito Federal (DF) implantarão um modelo de compras de medicamentos de alto custo, que vai garantir economia e agilidade nas aquisições. Juntos, eles gastam por ano cerca de R$ 500 milhões em remédios e a expectativa é de que, com esse sistema a ser implantado, haverá uma economia significativa que ainda não foi quantificada, porque ainda não foi definido quais produtos farão parte desse cadastro.

A maioria dos medicamentos a serem incluídos na lista de compras será para tratamento oncológico, que representa 80% dos remédios de alto custo adquiridos pelos estados do Brasil Central. Ficou definido que caberá a Goiás coordenar a criação da Ata de Registro de Preços, que será a referência para as compras que serão feitas por meio de pregão eletrônico. Goiás foi escolhido para essa tarefa, por já estar adiantado nessa modalidade de aquisição.

O governador de Mato Grosso, Pedro Taques, lembrou que uma das vantagens dessa união dos Estados é que será possível fazer a compra de medicamentos de forma consorciada e direto da indústria, o que vai gerar uma economia. “Quanto a plataforma unificada de compra de medicamentos, isso queremos fazer rapidamente. Os estados terão uma economia de 5% a 10% na compra desses medicamentos”, afirmou o governador de Goiás, Marconi Perillo.

 

Veja Também
Domingo, 21 de Janeiro de 2018 - 07h00Ceará é líder em faturamento entre estados exportadores de crustáceos e peixes Em volume exportado, o Ceará ficou na terceira posição, com 4,8 mil toneladas
Sábado, 20 de Janeiro de 2018 - 17h38Sucessão familiar na Agropecuária Mais de 260 pessoas participam do Encontro Jovens do setor rural
Sábado, 20 de Janeiro de 2018 - 15h23MS teve pior ano para fechamento de empresas Quase 3.000 empresas encerraram suas atividades em 2017
Gás de cozinha mais barato
Colheita da soja começa em fevereiro
Congresso Brasileiro de Olericultura será em Bonito
Preço do gás de cozinha cai 5% nas refinarias a partir de sexta-feira
Inflação do aluguel acumula queda de 0,34% em 12 meses
Sétimo lote do abono salarial 2016 começa a ser pago hoje
Tarifa de energia deve permanecer na bandeira verde até março, diz ministro
Square notícias UCI 2018
Vídeos
Diário Digital no Facebook
DothNews
Rec banner - Patio central
DothShop
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2018 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento