Menu
25 de junho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Crise

Empresários acreditam que economia piorou

Índice que mede a confiança apontam desanimo do empresariado

29 Jun2017Laureano Secundo09h36

Em junho, para 41% dos empresários da indústria as condições atuais da economia brasileira pioraram, no caso da economia estadual, a piora foi apontada por 37% dos participantes e, com relação à própria empresa, as condições atuais estão piores para 31,5% dos empresários. Esses dados são revelados pela Sondagem Industrial realizada pelo Radar Industrial da Fiems e servem para o cálculo do Índice de Confiança do Empresário Industrial de Mato Grosso do Sul (ICEI/MS). O levantamento revele que  além disso, para 42,5% dos empresários não houve alteração nas condições atuais da economia brasileira, sendo que em relação à economia sul-mato-grossense esse percentual foi de 50,7% e, a respeito da própria empresa, o número chegou a 42,5%.

Por fim, para 11% dos empresários as condições atuais da economia brasileira melhoraram. Já em relação à economia estadual esse percentual chegou a 5,5% e, no caso da própria empresa, o resultado foi de 16,4%. Os que não fizeram qualquer tipo de avaliação das atuais condições da economia brasileira, estadual e do desempenho da própria empresa responderam por 5,5%, 6,8% e 9,6%, respectivamente.

Em junho, o Índice de Confiança do Empresário Industrial de Mato Grosso do Sul (ICEI/MS) alcançou 52,3 pontos, indicando um recuo de 1,9 ponto sobre o mês de abril. “Contudo, é importante ressaltar que o indicador segue no campo positivo, ou seja, de um modo geral, os empresários se mostram confiantes. Todos os componentes do indicador de expectativas permanecem acima da linha divisória dos 50 pontos, sinalizando que para os próximos seis meses devem ocorrer melhoras na economia brasileira, sul-mato-grossense e, principalmente, no desempenho da própria empresa”, detalhou o coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems.

Em junho, 27,4% dos respondentes disseram que estão pessimistas em relação à economia brasileira. Em relação à economia estadual, o resultado alcançou 24,6% e, quanto ao desempenho da própria empresa, o pessimismo foi apontado por 16,5% dos empresários. Os que acreditam que a economia brasileira deve permanecer na mesma situação ficou em 37%, sendo que em relação à economia do estado esse percentual também alcançou 39,7% e, a respeito da própria empresa, o número chegou a 37,0%.

Além disso, 31,5% dos empresários se mostraram confiantes e acreditam que o desempenho da economia brasileira vai melhorar. Já em relação à economia estadual, esse percentual chegou a 30,1% e, no caso da própria empresa, 42,5% dos respondentes confiam em uma melhora do desempenho apresentado. Os que não fizeram qualquer tipo de avaliação das expectativas em relação à economia brasileira, estadual e do desempenho da própria empresa responderam por 4,1%, 5,5% e 4,1%, respectivamente.

 

Veja Também

Fábrica de papéis pode se instalar em Três Lagoas após votação na Câmara
Maggi vai tratar com Rússia e China sobre embargo à carne brasileira
Procon divulga nova pesquisa sobre preços de combustíveis
Copa e namorados impulsionaram compras
Economia Copom inicia hoje reunião para definir taxa Selic Meta de inflação, que é de 4,5% neste ano, com limite inferior de 3% e superior de 6%
MS bate recorde na contratação do FCO em cinco meses em 2018
Confederação prevê nas vendas do setor de serviços em 2018
Copa do Mundo pode movimentar mais de R$ 20 bilhões
Exportações de MS crescem 45%
Caixa divulga novo calendário de pagamento do PIS