Menu
15 de outubro de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Economia

Dicas do Senai para não se assustar com a conta de luz devido ao calor

Para residências, comércios e indústrias, principal orientação é observar instalações elétricas

30 Set2019Da redação15h50

A previsão climática para esta Primavera é de que as temperaturas fiquem acima do normal em até 1ºC na maior parte de Mato Grosso do Sul. Essas condições significam que o Estado pode ter dias com temperaturas bem altas nos três meses de duração dessa estação que vai até o próximo dia 22 de dezembro.

Com essa alerta de onda de calor, fica difícil não utilizar aparelhos de ar-condicionado, ventiladores e umidificadores ou abrir a geladeira constantemente em busca de uma bebida gelada. Ações como essa ajudam a refrescar, mas também são um peso no fim do mês, quando os consumidores recebem a fatura da conta de energia.

Pensando nisso, o Senai Empresa elaborou algumas dicas para que o consumidor não se assuste com o valor da próxima conta de luz. Confira abaixo as sete sugestões:

1 - Verifique as instalações elétricas

Para residências, comércios, indústrias e órgãos públicos, a principal orientação é observar, rigorosamente, as condições das instalações elétricas, “Verifique se o dimensionamento dos condutores está compatível com as cargas à vincularem, para evitar perdas de energia por efeito joule e risco de dano ao patrimônio ocasionado por incêndio”, explicou o consultor do Programa Senai de Gestão Energética do Senai Empresa, engenheiro-eletricista Sebastião Dussel.

 

2 - Contrato com a distribuidora de energia

Pouca gente sabe, especialmente quando se tratam de inquilinos, que entram nos imóveis com a instalação elétrica concluída, mas os grandes consumidores de energia devem se atentar para são os contratos de fornecimento com a concessionária. “Observe se o montante da demanda contratada é compatível com as reais necessidades do consumo da planta, e se o enquadramento tarifário está adequado para produzir o menor valor para a fatura de energia elétrica”, orientou Dussel.

 

3 - Para Residências

Não tem como fugir: nas residências, a economia deve ser focada nos sistemas de refrigeração, aquecimento e de iluminação. “As ações para reduzir o consumo de energia elétrica não fogem das tradicionais dicas de economia, como apagar as luzes, não abusar do ar condicionado, tirar aparelhos do modo stand by e ficar de olho em eletrodomésticos como a máquina de lavar e ferro de passar roupas”, afirmou o consultor.

 

4 – Para comércio

Nos comércios, os vilões do consumo costumam ser a ventilação, a iluminação e a refrigeração. As ações de economia, afirma Sebastião Dussel, estão fortemente apoiadas na substituição da iluminação tradicional por lâmpadas de LED e no uso de sistemas de ventilação e de refrigeração com alto nível de eficiência e baixo consumo, acompanhado de uma política sistemática de manutenção.

 

5 – Para indústria

Na indústria, o maior consumo vem dos sistemas de motorização, solda, aquecimento e ar comprimido, o que requer a utilização de sistemas com alto rendimento e baixo consumo, além de políticas de manutenções preditivas e preventivas rigorosas que evitem paradas inesperadas da produção causadas por equipamentos fora de operação.

 

6 – Para órgãos públicos

Nos órgãos públicos o consumo de energia elétrica está associado aos sistemas de iluminação e refrigeração, que deverá observar as mesmas medidas recomendas para o setor comercial, enquanto que no meio rural as ações sugestivas vão depender da atividade desenvolvida.

 

7 – Utilizar o simulador de energia fotovoltaica do Senai

Se o objetivo for reduzir ainda mais a conta de luz, o Senai disponibiliza por meio do link http://www.simuladorsenai.com.br/ um simulador de energia fotovoltaica para que os interessados possam se informar sobre os custos e vantagens do investimento. Por meio de um questionário simples é possível identificar a potência do sistema fotovoltaico que deve ser instalado, bem como a produção mensal, a quantidade de placas e qual o valor de investimento.

Veja Também