Menu
29 de fevereiro de 2020 • Ano 9
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Trabalho

Cresce o número de indígenas de MS trabalhando nas lavouras de maçã

Em 2019 foram contratados mais de 3,6 mil índios de MS em propriedades rurais no sul do país

12 Fev2020Da redação09h55

A inserção de indígenas no mercado de trabalho tem sido uma realidade que só aumenta em Mato Grosso do Sul. Desde 2015, trabalhadores indígenas do Estado têm tido a oportunidade de trabalhar no raleio e colheita de maçã na região sul do País.

No ano passado o número de trabalhadores contratados foi 18 vezes maior que o primeiro ano da iniciativa, quando o Estado enviou 207 indígenas para trabalhar em Santa Catarina (SC) e Rio Grande do Sul (RS).

Dados da Fundação do Trabalho (Funtrab) mostram que em cinco anos, houve um crescimento gradativo dessas contratações que chegam a aproximadamente 80% do número de indígenas encaminhados. Para se ter uma ideia, em 2019 foram encaminhados 4.155 candidatos, dos quais 3.676 foram contratados para atuarem nas lavouras do Sul. 

A ação é fruto de parceria entre Governo do Estado, por meio da Funtrab, Ministério Público do Trabalho (MPT), Comissão Permanente de Investigação e Fiscalização das Condições de Trabalho e Coletivo dos Trabalhadores Indígenas. Juntas, as instituições fazem o cadastro, seleção e orientação, além de manter assegurados todos os direitos dos trabalhadores que são enviados para o sul do País.

Aproximadamente 3.138 indígenas já embarcaram este ano, rumo as cidades do sul do Brasil onde irão trabalhar por cerca de 90 dias nas lavouras de maçã. No momento trabalham na colheita da variedade Gala e em março da Fuji. São homens e mulheres, a maioria deles das cidades de Iguatemi, Miranda e Aquidauana. 

Para a safra deste ano a expectativa de sete empresas de RS e SC é contratar 5.000 indígenas do Estado. A contratação é feita de forma a garantir segurança jurídica dos trabalhadores e também dos empregadores. Os indígenas saem de Mato Grosso do Sul com registro na carteira, salário fixo de R$ 1,3 mil, mais adicional de produtividade, transporte, alojamento e refeição.

 

 

Veja Também

O clima está atrasando a colheita de soja
Cai estimativa do mercado financeiro para inflação, diz BC
Preço do protetor solar varia até 83% na Capital
Quem perdeu prazo do IPVA ainda pode se regularizar
Confiança dos comerciantes cresce pelo 2º mês seguido, diz pesquisa
Comprovantes para Imposto de Renda devem ser enviados até sexta-feira
Bancos passam a cobrar dólar do dia da compra com cartão
MS é o estado com maior presença de mulheres à frente de negócios
Pesquisa Sebrae/Fecomércio Campo-grandense almoça em casa Geralmente é a mulher vai às compras com base nos gostos da família
EUA volta comprar carne do Brasil