Menu
8 de dezembro de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Inflação

Cai a intenção de consumo

Em junho pesquisa mostra nova queda no movimento do comércio

26 Jun2019Laureano Secundo10h43

Pesquisa da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo) aponta uma nova queda na Intenção de Consumo das Famílias (ICF) campo-grandenses em junho, com 99,1 pontos, em comparação aos 100,7 pontos registrados no mês de maio (-1,6), saindo da zona positiva após cinco meses. Já em comparação a junho de 2018 (89,3 pontos) o aumento é de quase 10 pontos.

Para quem ganha mais de dez salários mínimos o índice é maior, mais de 10 pontos acima do índice geral (109,6 pontos). Já para quem ganha menos de dez salários, a confiança é menor (97). Dos sete indicadores apurados, apenas três apresentaram índices positivos, perspectiva profissional (4,2%), perspectiva de consumo (1,6%) e emprego atual (1,1%). O nível de consumo atual registrou o pior índice (-10,9%), seguido por compra a prazo (acesso ao crédito), com -4%, e renda atual (-3,8%). 

"Um dado importante é que a perspectiva profissional se manteve no patamar positivo e isso significa que o consumidor está mais seguro e acredita em uma melhora profissional nos próximos meses (62,8%), além da tendência de manter a perspectiva de consumo igual ao ano passado (52%)", afirma a economista do Instituto de Pesquisa da Fecomércio-MS (IPF-MS), Daniela Dias.

 

Veja Também

Negociação de débitos começa na segunda-feira
Energisa sorteia 30 geladeiras em ação social no Bairro Aero Rancho
Inicia amanhã saque imediato do FGTS para nascidos em Setembro e Outubro
Confira horário e funcionamento do comércio em Dezembro
Mercado financeiro eleva estimativa de inflação este ano para 3,29%
Sindicato das indústrias metalmecânicas de MS tem nova diretoria
Desvalorização da moeda se deve a fatores externos, diz Bolsonaro
Sicredi inaugura primeira agência em Ribas do Rio Pardo
Mercado financeiro eleva estimativa de inflação este ano para 3,52%
Bancos fazem mutirão para negociar dívidas em atraso