Menu
24 de abril de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega Banner Governo do Estado - Gestão por Competência
Custo de vida

Cesta básica fecha ano em alta

No último mês do ano inflação teve aumento de 0,53%

5 Jan2018Da redação10h33

No mês que fechou o ano de 2017, o custo da cesta básica na capital registrou uma discreta alta, percentual e monetária, nos preços dos treze produtos alimentícios pesquisados mensalmente pelo Dieese: com variação de 0,53%, e valor de R$ 364,33, a alta em relação à cesta de novembro foi de R$ 1,93.

Na análise comparativa com as demais capitais pesquisadas, Campo Grande apresentou a 7ª variação mais expressiva de preços, e a 10ª posição em termos monetários. Ao longo de dose meses, com sete retrações e cinco altas, sendo a de dezembro a mais discreta, a variação acumulada no período é negativa: (-10,24%).

Goiânia/GO teve a retração percentual mais expressiva entre as cidades do Centro-Oeste (-0,35%), seguida pela capital federal (-0,20%). Mesmo com a retração, os trabalhadores residentes em Brasília/DF pagaram R$ 379,77 para aquisição de uma cesta, seguidos, novamente, por Cuiabá/MT (R$ 376,71).

Sobre o tempo dedicado ao trabalho entre aqueles trabalhadores que recebem salário mínimo, notou-se uma diminuição em 27 minutos na jornada, quando comparado com o tempo registrado no mês de Novembro. Em Dezembro foram 85 horas e 59 minutos dedicadas ao trabalho para aquisição de uma cesta básica.

Quanto ao comprometimento do salário mínimo líquido2 para aquisição de uma cesta básica, registrou-se um discreto aumento de 0,23 p.p., já que o percentual foi de 42,49%. Ao observarmos os valores para uma cesta familiar, a alta foi de R$ 5,79 em relação à Novembro, sendo seu valor integral de R$ 1.098,78. Na relação entre o custo da cesta familiar e o salário mínimo bruto, a equivalência foi de 1,17 vezes, variação em 0,01 p.p na comparação com o mês anterior.

Em Dezembro de 2016, quando a cesta individual exibiu custo de R$ 408,06, a cesta básica familiar somou R$ 1.224,18 - valor superior em R$ 125,40 em relação à cesta atual, equivalente a 34% dessa cesta.

Em Dezembro, a Farinha de Trigo (0,00%) foi o único produto que não apresentou variação de preços. Aumentos foram constatados nos preços da Banana (6,57%), Óleo de soja (5,46%), Carne bovina (3,58%), Café (2,04%), Pãozinho francês (1,13%) e Açúcar cristal (0,49%). Já as retrações foram observadas nos preços de Tomate (-9,76%), Manteiga (-5,72%), Batata (-4,07%), Arroz (-3,47%), Feijão carioquinha (-2,70%) e Leite (-0,35%).

Veja Também

Em MS, 70% vão às compras para o Dia das Mães
Governo pode adiar reajuste dos servidores, diz ministro da Fazenda
Brasil terá perda de 30% nas exportações de frango para a Europa
MS tem dois frigoríficos embargados pela Europa
Petrobras aumenta preços de combustíveis nas refinarias
MS teve recorde de exportação
Banco Central estuda criar sistema de pagamento instantâneo
Economia Confiança do empresário recua pela primeira vez após oito meses No cálculo do índice, valores abaixo de 50 pontos indicam falta de confiança do empresário
Contribuinte pode obter ajuda para declarar IR no Pátio Central
Projeto garante isenção de IR para indústrias de MS