Campo Grande •20 de Setembro de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full banner Rota das Estações - Primavera

Da redação | Segunda, 26 de Dezembro de 2016 - 18h31Com R$ 2,2 bilhões em caixa, FCO está mais atrativo em 2017Mudanças que beneficiam projetos de investimentos do setor produtivo já estão em vigor

(Foto: Divulgação)

Alguns avanços obtidos pelo governo do Estado junto ao governo federal ao longo do ano de 2016 deixaram o Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) mais atrativo para a instalação ou ampliação de empreendimentos rurais e empresariais em Mato Grosso do Sul no próximo ano. Algumas das mudanças que beneficiam os projetos de investimentos do setor produtivo já estão disponíveis aos empreendedores, outras, passam a valer a partir do dia 1º de janeiro de 2017.

Entre as principais novidades está o aumento de R$ 880 milhões no volume de recursos do FCO disponíveis para o Estado em 2017 (que passou de R$ 1,36 bilhão para R$ 2,24 bilhões) e a redução nas taxas de juros do FCO empresarial, que caiu de 11,18% para 10% a partir de 1º de janeiro de 2017. “A queda nos juros do FCO Empresarial oferece condições mais favoráveis para a atração de novos empreendimentos do setor privado no Estado e para a geração de novos empregos”, afirma o secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck.

O secretário Jaime Verruck, que preside o Conselho Estadual de Investimentos Financiáveis pelo FCO (CEIF-FCO) lembrou que, no âmbito da Semade e demais secretarias do governo do Estado que atuam no gerenciamento dos recursos do Fundo, “tudo será feito para promover a fluidez e celeridade na aprovação dos projetos. Ainda no mês de janeiro vamos aprovar e adequar a legislação estadual às deliberações do Fundo para 2017 para dar início às análises dos projetos”.

Ao longo de 2016 foram realizadas 12 reuniões ordinárias e 9 extraordinárias do CEIF-FCO, nas quais foram recebidas, analisadas, anuídas e homologadas 1.183 cartas-consultas, totalizando R$ 1.146 bilhão em projetos dos setores rural e empresarial que foram encaminhados à fase de contratação junto ao Banco do Brasil, Sicredi e BRDE. “Houve uma dificuldade burocrática junto ao Banco do Brasil, mas essa situação foi superada e houve uma melhora no desempenho entre novembro e dezembro. Já temos o comprometimento do banco para que o sistema seja aberto em ainda janeiro e as contratações do FCO sejam agilizadas”, finalizou Jaime Verruck.

Capital de Giro e outras mudanças - Uma mudança que já está em vigor é o financiamento de Capital de Giro Dissociado com a finalidade de subsidiar gastos relativos à administração do empreendimento para empresas de pequeno, médio e de grande porte. Essa nova regra do FCO, defendida e aprovada pelo governador Reinaldo Azambuja, permite o uso do recurso financiado para o pagamento de  despesas como água, energia, telefone, folha de pagamento, aluguel, aquisição de insumos e matéria-prima, pagamento de tributos, dentre outros vinculados ao negócio), exceto a amortização e/ou liquidação de empréstimo e/ou financiamento no Sistema Financeiro Nacional. O limite de financiamento varia de R$ 270 mil a R$ 800 mil, dependendo do porte da empresa (pequeno, médio ou grande).

Outra mudança que possibilita maior distribuição e facilidade no acesso aos recursos do Fundo é o aumento no percentual no repasse para o BRDE, agências de fomento e cooperativas. A partir de 1º de janeiro de 2017, esses agentes financeiros terão uma previsão orçamentária de 10% do volume disponível para o FCO no ano – o índice anterior era de até 7%.

O setor de suinocultura também foi beneficiado, com a possibilidade de os produtores rurais financiarem a retenção de matrizes suínas. Por fim, foi elevado o teto de financiamento e da assistência máxima permitida pelo FCO. A assistência máxima passará de R$ 20 milhões para R$ 30 milhões. Já o teto de excepcionalidade aumentará de R$ 100 para R$ 300 milhões por cliente ou grupo empresarial, desde que para projetos estruturadores considerados de alta relevância, com anuência do Conselho de Desenvolvimento do Estado (CDE).

Veja Também
Em 2018, 41 municípios do Estado terão ICMS menor
Mercado reduz projeção de inflação
Segunda, 18 de Setembro de 2017 - 09h55PIB cresceu 0,6% no trimestre encerrado em julho, mostra FGV PIB acumulado em 2017 até o mês de julho, em valores correntes, alcançou o valor aproximado de R$ 3,78 trilhões
Domingo, 17 de Setembro de 2017 - 17h44Produtores rurais poderão renegociar dívida Com a renegociação produtores poderão conseguir novos créditos
Evento orienta empreendedores da Capital sobre créditos
Quinta, 14 de Setembro de 2017 - 11h39Atividade econômica cresce 0,41% em julho Na comparação com julho de 2016, o crescimento chegou a 2,65% (sem ajuste para o período).
Quinta, 14 de Setembro de 2017 - 09h20Trabalhadores nascidos em setembro podem receber o abono do PIS-Pasep Benefício ficará disponível para saque nos bancos até 30 de junho de 2018
Exportação de MS voltam a crescer
Número de brasileiros com contas em atraso cai em agosto
Projeto quer limitar o uso de dígitos no valor dos combustíveis em MS
Square banner notícias UCI
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
Rec banner - Patio central
DothShop
DothNews
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento