Menu
3 de junho de 2020 • Ano 9
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
PIS/Pasep

Benefício para os nascidos em agosto já está liberado

De acordo com o banco, o valor total disponibilizado para os nascidos em agosto é de R$ 1,4 bilhão destinado

16 Ago2019Agência Brasil11h25

O abono salarial do calendário 2019/2020 do Programa de Integração Social (PIS ) e do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep), para os beneficiários nascidos em agosto, já está liberado desde essa quinta-feira (15).

Os trabalhadores com inscrição no PIS recebem na Caixa Econômica Federal. De acordo com o banco, o valor total disponibilizado para os nascidos em agosto é de R$ 1,4 bilhão destinado a 1,6 milhão de beneficiários. O trabalhador com inscrição no Pasep recebe o pagamento no Banco do Brasil.

O dinheiro do benefício pode ser sacado até 30 de junho de 2020 e pode ser consultado, no caso do PIS, pelo Aplicativo Caixa Trabalhador, no site do banco (www.caixa.gov.br/PIS) ou pelo telefone 0800 726 0207.

Os titulares de conta individual na Caixa, com cadastro atualizado e movimentação na conta, recebem o crédito de forma automática.

Tem direito ao benefício o trabalhador inscrito no PIS ou no Pasep há pelo menos cinco anos e que tenha trabalhado formalmente por pelo menos 30 dias, em 2018, com remuneração mensal média de até dois salários mínimos.

É necessário ainda que os dados estejam corretamente informados pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais), ano-base 2018.

 

Veja Também

Auxílio já pode ser sacado por quem faz aniversário em março
Saque de auxílio está disponível para quem nasceu em fevereiro
Comércio prepara Dia Livre de Impostos
Intenção de consumo na Capital atinge menor nível desde setembro
Metade dos contribuintes entregou declaração do IR
Saque aniversário do FGTS poderá ser usado para garantir empréstimos
Laboratório de Inovação iniciado pelo Sebrae-MS completa 4 anos
Só 36 municípios se habilitam para o ICMS Ecológico
Caixa abre 39 agências em MS neste sábado
Governo defende reformas após a pandemia para recuperar o PIB