Menu
24 de abril de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega Banner Governo do Estado - Gestão por Competência
Pátio Central

Acadêmicos da UCDB auxiliam microempreendedores a fazer declaração

Ação será realizada neste sábado, das 9h às 18h, no Pátio Central Shopping

18 Mai2017Da redação16h37

Acadêmicos de Ciências Contábeis da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), sob a orientação de professores, vão auxiliar gratuitamente no preenchimento da declaração anual de Microempreendedor Individual (MEI) no próximo sábado (20/5), das 9h às 18h, no Pátio Central Shopping, localizado à Rua Marechal Candido Mariano Rondon, 1380, no Centro de Campo Grande. O prazo para enviar a declaração termina dia 31 de maio.
 
“O empreendedor individual é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário. Anualmente, ele precisa apresentar o valor da receita total obtida no ano anterior”, explica a coordenadora do curso de Ciências Contábeis da UCDB, professora Lucélia Tashima.
 
Ela explica ainda que caso o MEI não faça a declaração anual, ou a entregue com atraso, terá penalidade de no mínimo R$ 50 ou 2% ao mês calendário, incidente sobre o montante dos tributos decorrentes das informações prestadas. “O microempreendedor individual pode emitir notas fiscais com faturamento anual de até R$ 60 mil e não possuir participação em outra empresa como sócio ou titular”, ressalta.
 
A professora observa ainda que são várias as atividades em que se pode trabalhar como microempreendedor individual, sendo comércio em geral; indústria em geral (poucas exceções); e serviços de natureza, sem regulamentação legal, como por exemplo, salão de beleza, lavanderia, lava-jato, manutenção, instalação, dentre inúmeros outros. “A Lei Complementar nº 128 de 19/12/2008 criou condições especiais para que o trabalhador informal possa se transformar em um empreendedor legalizado. Esta Lei teve por objetivo trazer oportunidades para que as pessoas que prestam atividades ou serviços na informalidade tenham a oportunidade de regularizarem seus negócios”.
 
Conforme o Portal do Empreendedor, entre as vantagens oferecidas por essa lei está o registro no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), o que facilita a abertura de conta bancária, o pedido de empréstimos e a emissão de notas fiscais. O MEI será enquadrado no Simples Nacional e ficará isento dos tributos federais (Imposto de Renda, PIS, Cofins, IPI e CSLL), pagando apenas o valor fixo mensal de R$ 47,85 (comércio ou indústria), R$ 51,85 (prestação de serviços) ou R$ 52,85 (comércio e serviços), que será destinado à Previdência Social e ao ICMS ou ao ISS. Essas quantias serão atualizadas anualmente, de acordo com o salário mínimo. Com essas contribuições, o Microempreendedor Individual tem acesso a benefícios como auxílio maternidade, auxílio doença, aposentadoria por idade ou invalidez, entre outros. 
 
Ainda segundo o Portal, não exige-se do MEI a contratação de um profissional da área contábil. As exigências legais são simplificadas, pois o mesmo não tem obrigatoriedade de emissão de nota fiscal para pessoa física, sendo obrigado somente emissão à pessoa jurídica, e portanto precisará emitir a guia DAS mensal. Caso tenha um funcionário, devido às declarações acessórias, sugere-se a contratação de um profissional da área contábil.

 

Veja Também

Em MS, 70% vão às compras para o Dia das Mães
Governo pode adiar reajuste dos servidores, diz ministro da Fazenda
Brasil terá perda de 30% nas exportações de frango para a Europa
MS tem dois frigoríficos embargados pela Europa
Petrobras aumenta preços de combustíveis nas refinarias
MS teve recorde de exportação
Banco Central estuda criar sistema de pagamento instantâneo
Economia Confiança do empresário recua pela primeira vez após oito meses No cálculo do índice, valores abaixo de 50 pontos indicam falta de confiança do empresário
Contribuinte pode obter ajuda para declarar IR no Pátio Central
Projeto garante isenção de IR para indústrias de MS