Menu
28 de março de 2020 • Ano 9
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Saúde
26 Mar 2020 09h03

O impacto da cirurgia na autoestima

 

Você já parou para pensar nos problemas emocionais que uma pessoa pode desenvolver por conta da autoestima baixa?

Insegurança desde a infância, vida social limitada, problemas com relacionamentos, dificuldade de trabalhar em grupo e até depressão: esses são apenas alguns obstáculos que milhares de pessoas enfrentam ao longo da vida quando algo realmente incomoda na aparência.

Embora muitos ainda julguem que procedimentos estéticos estão apenas ligados a uma questão de vaidade, a verdade é que o impacto de uma cirurgia plástica na autoestima é capaz de transformar vidas.

Mudança na autoestima e na maneira de ver a vida!

Crianças que sofrem com a famosa orelha de abano, podem construir personalidades excessivamente tímidas, inseguras e até agressivas por conta de um ‘probleminha’ que pode ser resolvido com uma cirurgia. E pais, quanto antes, melhor. Muitas e muitas crianças relatam terem perdido boa parte da infância tentando esconder aquele defeitinho.

Nas mulheres, uma barriguinha saliente, o excesso de gorduras localizadas ou um bumbum pequeno, por exemplo, fazem com que muitas se sintam inseguras em diversas ocasiões sociais e íntimas. Com o tempo, a pessoa começa a deprimir por estar deixando de aproveitar situações simplesmente porque não se sente confortável com seu próprio corpo. Mais do que uma questão de apenas se aceitar, existem formas de resolver esses problemas.

Poderia ficar aqui, horas, enumerando casos. Aquele cara que a vida toda foi o narigudo da turma, a adolescente com seio enorme, enfim, com certeza, alguma situação parecida veio à sua mente. E a boa notícia é, podemos resolver!

Corpo e mente em harmonia

Por meio das cirurgias plásticas, é possível corrigir ou suavizar essas imperfeições que tanto nos incomodam e tiram nossa confiança. Dessa forma, o impacto da cirurgia plástica na autoestima se estende para nossa vida pessoal e social, abrindo novas possibilidades.

É de extrema importância ressaltar que nenhum procedimento estético vem acompanhando de uma promessa instantânea de felicidade, pois não extingue os fatores emocionais que precisam e devem estar em harmonia com tudo que o indivíduo busca. Buscar ajuda psicológica é tão importante quanto resolver o ‘problema’ físico. Essa sim é uma dupla de sucesso!

No final das contas, a verdade é: o que realmente importa na vida é como você  se sente e encara as situações. Com ou sem cirurgia plástica, estamos aqui para ser feliz!

 

Voltar Compartilhar

DEIXE SEU COMENTÁRIO

200

Leia Também

Mais de Fernando H. Novaes