Menu
17 de agosto de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega Banner Expo MS
Cultura

UEMS vai ajudar Feira Central a virar Patrimônio da União

Após assinatura de convênio, Universidade fará pesquisas, levantamentos de inventários e produção de documentários

17 Mai2018Da redação14h54

Na próxima sexta-feira (18), a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) deve oficializar um convênio com a Associação da Feira Central, Cultural e Turística de Campo Grande (AFECETUR). A parceria deve viabilizar que a Universidade participe do processo de registro de Patrimônio Cultural e Imaterial da União, através de pesquisas, levantamentos de inventários, produção de documentários e outros.

A cerimonia de oficialização do convênio acontecerá a partir das 9h, no Auditório do Sebrae, em Campo Grande e contará com a presença do Reitor Fábio Edir dos Santos Costa e do Prefeito de Campo Grande Marquinhos Trad. Neste dia, a AFECETUR, junto a Superintendência do Iphan em Mato Grosso do Sul, SEBRAE e a Prefeitura Municipal de Campo Grande, através da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (SECTUR) vão oferecer uma palestra técnica sobre o Processo de Registro de Patrimônio Cultural e Imaterial da União. A palestra será ministrada pelo diretor do Departamento de Patrimônio Imaterial, da Sede do Iphan (Brasília), Hermano Queiroz.

Hermano deve esclarecer dúvidas quanto ao processo e falar sobre a importância do registro para a Cidade e o Estado de Mato Grosso do Sul.

Patrimônio da União - Em 2017, a Feira Central foi registrada como Patrimônio Cultural e Imaterial de Campo Grande. No início de 2018, o prefeito Marquinhos Trad, junto com o Secretário de Cultura do Estado Athayde Neri, o Vereador João Cesar Mattogrosso e as representantes da Feira Central, Alvira Appel (Presidente da AFECETUR) e Luciane Rosa (Vice-Presidente AFECETUR), fizeram o pedido de registro da Feira Central de Campo Grande como Patrimônio Cultural e Imaterial Brasileiro, diretamente a presidente Nacional do IPHAN, Kátia Bogéa. A palestra de sexta-feira (18) faz parte desse processo que será avaliado pelos conselheiros do Iphan.

Hermano Queiroz é mestre em Preservação do Patrimônio Cultural pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional- IPHAN, foi consultor jurídico do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia, diretor de Projetos, Obras e Restauro do IPAC, diretor de preservação do IPAC e diretor do Departamento do Patrimônio Imaterial do IPHAN no Brasil.

Veja Também

Sesc Cultura resgata composições de Lídia Baís
Morada dos Baís festeja centenário
UEMS abre inscrições para curso básico de violão em Dourados
Filme A Pele Morta terá cena gravadas em Dourados e Ponta Porã
Whisky de Segunda faz apresentação gratuita neste domingo no Som da Concha
Cia Dançurbana e Grupo Bailah apresentam espetáculos na Casa de Ensaio
Cine Sesc tem biografia, segunda Matinê Sesc Aldeia Materna e drama francês
Exposição 'Isto não é uma cadeira' é aberta no Marco
Passista da São Clemente vem à Capital
Marco abre 2ª Temporada de Exposições