Menu
20 de novembro de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Música

Trinka prepara lançamento de novo álbum

Processo de composição e gravação das novas músicas foi em meio às belezas naturais de Bonito

27 Out2019Paula Fernandes16h00
(Foto: Jordan Matos/André Nascimento)
  • Chicão Castro, Danilo Dan e Fabio Adames na Kombi Zuzu que foi transformada em estúdio em Bonito
  • (Foto: Jordan Matos/André Nascimento)
  • Foto: Divulgação Trinka
  • Foto: Divulgação Trinka

Um vídeo um tanto enigmático nas redes sociais deixou os admiradores do grupo Trinka intrigados no mês de setembro. Nas imagens cada um de seus integrantes vai se desfazendo da maquiagem em preto e branco e as cenas são acompanhadas de palavras em tom de despedida.  É o fim do Trinka? Seguramente não. Em se tratando de Trinka,  a palavra mágica é reinvenção salpicada de ousadia. 

O grupo formado pelo músico Chicão Castro, pelo produtor musical Fabio Adames e pelo DJ Danilo Dan foi concebido há dois anos da vontade de  inovar com a  mistura de gêneros. Pop, MPB e música eletrônica vão se fundindo  com músicas autorais e versões de canções famosas. A batida do DJ está mesclada com elementos orgânicos como a guitarra e o violão.

Nas apresentações  a marca registrada é o espetáculo. Luzes, cores, brilho, fumaça, purpurina no ar, tudo performático. No rosto sempre o corpse paint, maquiagem em preto e branco popularizada na performance das bandas Kiss, dos Estados Unidos, e Secos & Molhados,  que na década de 1970 fez sucesso tendo Ney Mato Grosso como vocalista.

 A primeira  música  “Deixa o amor fluir” foi  masterizada por  Chris Gehringer, que já trabalhou com grandes nomes do pop mundial, como Lady Gaga, Rihana e  Jason Marz. Em seguida veio a canção “Eu quero paz”.  E tudo foi dando certo. O Trinka seguiu ganhando fãs, admiradores nas redes sociais e reconhecimento.

Mas as ideias não deixaram  de ferver. Dois anos depois  os integrantes do Trinka buscaram uma nova experiência e o primeiro ciclo da trajetória do grupo foi encerrado. E a fase seguinte começou a bordo da Kombi Zuzu. Com ela Chicão, Fábio e Danilo partiram para a cidade de Bonito em busca de uma outra vivência musical. “Longe do barulho, da cidade, sem celular e naquele lugar incrível, a inspiração veio diferente”, pontua Chicão Castro que no grupo faz vocal e percussão.  

Fábio Adames ressalta que a ideia era realizar todo o processo de produção no isolamento. “Na beira do rio montamos um estúdio dentro da Kombi e tudo foi feito ali, da composição até a gravação, sem interferência externa, só em conexão com a natureza”, conta o vocalista do Trinka que também faz guitarra e violão. Para o Danilo Dan esse isolamento "tem relação em buscar e  experimentar um novo conceito musical". 

O lançamento será até o final de novembro. O que vem por aí será uma surpresa. Mas para quem já acompanha a trajetória do Trinka não tem outra expectativa: só pode ser coisa boa!  

Veja abaixo uma mostra de como será a nova fase do Trinka em vídeo feito especialmente para o Diário de Influência, plataforma de influenciadores digitais do Diário Digital:

Veja Também

Sesc infantil tem oficina de argila, histórias para bebês e cineminha
Grupo da UEMS apresenta dois espetáculos de dança neste mês
Semana musical terá do samba ao blues no Sesc Morada dos Baís
Orquestra que usa instrumentos feitos com materiais recicláveis abre festival
Arquiteta realiza oficina de xilogravura no MARCO
Final de semana musical é no happy hour do Sesc Morada dos Baís
Grupo Fulano di Tal estreia o espetáculo 'Do Bem-Amado'
Arquiteta promove experiência sensorial em exposição
Museu de Arte Contemporânea abre seleção para Exposições Temporárias
Livro retrata os 150 anos depois da Guerra do Paraguai